NOVIDADES

COMPORTAMENTO

sexo

Vídeos

Arquivo Em Neon

terça-feira, 29 de março de 2016

RuPaul: Drag queens e a comunidade trans são ‘completamente opostos’

Em Neon: terça-feira, 29 de março de 2016

O site Vulture fez uma entrevista com a Drag Queen mais rica do Mundo e entre as pérolas da conversa afiada e instigante de RuPaul, ela falou das polêmicas geradas entre as Drags e as Trans, confira abaixo o que Mamma Ru falou sobre isso:

Vulture: Como, então, interpretar a retirada do “she-mail” do programa, devido a alegações de transfobia?
RuPaul: Eu não sei, não fiz isso. A rede fez isso, e você teria que perguntar-lhes por que eles retiraram, pois eu não tinha nada a ver com isso.

Vulture: Fez você sentir que não era uma batalha?
RuPaul: Bem, a intenção por trás dessa palavra é uma maleta que foi concebida como uma forma de ser divertido e para desfrutar do idioma. Falei anteriormente sobre as almas doces, sensíveis que se encontram neste mundo, quando eles descobrem a farsa cruel da vida. A primeira etapa é a raiva. Depois a amargura. A terceira etapa é o riso, a irreverência e a compreensão de que, "Oh! Posso me divertir. Não levar muito a sério. Divirta-se com tudo." Então, torcer uma frase, enrolar uma palavra, pintar um bigode. Nós não temos cerimônia, e não levamos palavras a sério. Nós levamos a sério os sentimentos e intenções sérias, e a intenção é não ser detestável em tudo. Mas se você está sob a mira do gatilho e está procurando uma razão para reforçar a sua própria vítima, sua própria percepção de si mesmo como uma vítima, você vai olhar para qualquer coisa que irá reforçar isso.

Vulture: Como você vê a relação das Drags com a comunidade trans?
RuPaul: Eu acho que é um assunto chato. Eu realmente não quero falar sobre isso, porque todo mundo quer perguntar sobre isso. É tão tópico, mas elas são completamente opostas. Nós zombamos a identidade. Elas levam muito a sério a identidade. Portanto, são extremidades opostas completas da escala. Para um leigo, parece muito semelhante, mas não é realmente. Algumas pessoas levam identidade muito a sério. Eu não. Eu escolho rir da identidade e brincar com ela. Vou usar um terno ou uma roupa de marinheiro. Vou vestir-me bem feminina... Vou fazer o que? Todas as experiências que eu aprendi e cada mestre que você estudar vai dizer exatamente a mesma coisa: A vida não é para ser levada a sério. A maioria das pessoas são idiotas pra caralho. Se você olhar para seus hábitos de voto e os seus hábitos alimentares, você perceberá que as pessoas são estúpidas. Assim, poderíamos falar sobre as pessoas estúpidas ou poderíamos só ficar com as pessoas inteligentes, que sabem como se divertir e nem mesmo se concentram no que as pessoas estúpidas fazem. Não vale a pena. Digo isso como alguém que é um filho da puta inteligente: Não desperdice o seu tempo brincando com pessoas burras, tentando entendê-las ou tentando educá-las. Não funciona. É uma situação de perda.

CLIQUE AQUI se você quer conferir a entrevista na íntegra (em inglês) de RuPaul, na qual ela fala do Drag Race, a vida Drag, gênero, TV, público, os filmes “Carol” e “Garota Dinamarquesa”, David Bowie, Cultura Pop e seu próximo game show, Gay for Play.

Fonte: Vulture

Fotos: Reprodução e Steve Schofield/Getty Images

 
Todos os direitos reservados para © 2014 Em Neon
Desenvolvido por Code Art Design by Maurício Code