NOVIDADES

COMPORTAMENTO

sexo

Vídeos

Arquivo Em Neon

Entretenimento

Mundo LGBTI

.

Divertidíssima

GALERIAS

sexta-feira, 3 de julho de 2020

Parece que o Facebook não acredita que ameaçar pessoas LGBTQIA+ de morte seja discurso de ódio

Em Neon: sexta-feira, 3 de julho de 2020

A partir deste mês, vários grandes anunciantes como: Starbucks, Ford, Coca-Cola, Honda e Verizon, para citar alguns - estão retirando seus anúncios do Facebook para protestar contra a falta de resposta da plataforma à desinformação e discurso de ódio.

A  campanha Stop Hate for Profit  foi organizada no mês passado por vários grupos de direitos civis, incluindo a Liga Anti-Difamação, a NAACP, a Free Press e a Color of Change.

O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, respondeu ao boicote alegando que a empresa começará a colocar “etiquetas de aviso” nas postagens, mas não impedirá que os usuários publiquem seu conteúdo. Isso para que os usuários do Facebook tenham a liberdade de condená-lo porque "essa é uma parte importante de como discutimos o que é aceitável em nossa sociedade". Mas agora, um novo relatório está destacando a hipocrisia (e o perigo) desse conteúdo não regulamentado.

Ativistas do LGBTQIA+ de todo o Oriente Médio e Norte da África (MENA) se queixaram ao Facebook de postagens particularmente perturbadoras que pedem aos muçulmanos que matem pessoas LGBTQIA+.

De acordo com o Gay Star News e a OUT Magazine, o Facebook respondeu à reclamação dos ativistas sobre um post em particular de um usuário chamado Abdullah, que foi traduzido para: “'Se você acha que é seu direito agir sobre sodomia / homossexualidade, é meu direito jogá-lo do telhado."

O Facebook respondeu aos ativistas do MENA, que o post "não vai de encontro aos padrões da nossa comunidade, incluindo o discurso de ódio".

Imagem: Facebook
Além disso, o Gay Star News observa que os ativistas também mostraram ao Facebook a foto do perfil de um usuário chamado "Michael Clarke", que mostra duas figuras - uma simples, a outra feita em um arco-íris. Na imagem, o homem comum é visto chutando o homem arco-íris, uma clara mensagem anti-gay e pró-violenta.

Imagem: Facebook
Outro usuário sobre o qual eles reclamaram no Facebook é "Waallah Hasal", que postou uma ilustração de um suposto combatente islâmico com uma espada enfrentando manifestantes pacíficos LGBTQIA+ e os Black Lives Matter.

Não se engane, o post de Abdullah não era uma ideia ou sugestão fantasiosa.

Nos últimos anos, relatório após relatório mostrou que membros do ISIS, em nome do Islã, assassinaram homens gays e bissexuais atirando-os de cima de telhados, decapitando-os ou apedrejando-os até a morte. Várias das vítimas eram adolescentes.

22 ativistas e grupos LGBTQIA+ MENA escreveram uma carta aberta ao Facebook, pedindo para tomar mais medidas contra essa retórica violenta no Oriente Médio e no norte da África, como ocorre nos países ocidentais.

A carta veio logo após a morte de Sara Hegazy. A imagem de Hegazy de si mesma levantando uma bandeira de arco-íris em um show de Mashrou 'Leila em outubro de 2017 se tornou viral. Logo depois, ela ficou presa por três meses. Depois de procurar asilo no Canadá, o trauma de Hegazy cresceu demais para suportar e ela acabou morrendo por suicídio.

"Embora a comunidade MENA LGBTQIA+ tenha relatado milhares de publicações em árabe sobre discursos de ódio a maioria desses relatórios foi recusada porque o conteúdo 'não contradiz os padrões da comunidade do Facebook'. Isso se deve à negligência na implementação de políticas eficazes de discurso contra o ódio em nossa região, o que torna a plataforma insegura para as minorias sexuais", afirma a carta.

"Nos EUA e na Europa, não há espaço para espalhar discursos de ódio contra qualquer orientação sexual, raça, religião, seita ou qualquer outro grupo social", disse Adam Muhammed, diretor executivo do ATYAF Collective, um grupo LGBTQIA+ com sede em Marrocos. em comunicado à Reuters . "Endereçamos uma carta ao Facebook solicitando à sua administração a implementação da mesma política aqui usada em outros países".

Nicolas Gilles, co-fundador da Associação Francesa ANKH para os direitos das minorias, que co-assinou a carta, chamou a morte de Hegazy de alerta, acrescentando: “A comunidade LGBTQIA+ agora no mundo árabe está testemunhando assédio e bullying e todo mundo está dizendo que poderia ser o próximo [Hegazy] e nós não queremos isso. ”

Desde então, o Facebook respondeu à carta aberta, dizendo à Reuters:

"Sabemos que temos mais trabalho a fazer aqui e continuaremos a trabalhar em estreita colaboração com os membros da comunidade LGBTQIA+ no Oriente Médio e Norte da África para desenvolver nossas ferramentas, tecnologia e políticas".

Fonte: OUT Magazine

segunda-feira, 29 de junho de 2020

Nova canção da cantora Lizzo, traz meninos de 'Queer Eye' em desenho animado

Em Neon: segunda-feira, 29 de junho de 2020

Para comemorar o mês da visibilidade LGBTQI+ a cantora Lizzo lançou o videoclipe de seu hit pop "Soulmate" onde aparecem as bibas poderosas da série Queer Eye (Netflix).

No vídeo, Lizzo (em animação) aparece andando sozinha no SoHo com uma atitude de poderosa auto-estima. Ela é acompanhada periodicamente por Karamo Brown, Bobby Berk, Antoni Porowski, Tan France e Jonathan Van Ness, enquanto compartilham mensagens de auto-confiança, empoderamento, e a importância de ser fiel a si mesmo.

Os vídeos de Lizzo são conhecidos por seus visuais coloridos e batida de alta energia, e “Soulmate” não decepciona.

Segundo a OUT, a cantora que desafia o gênero surpreendeu os ouvintes no ano passado com "Juice", que a Rolling Stone chamou de "primeira grande música do ano". Embora algumas pessoas soubessem que a cantora também era uma flautista de sucesso, em 2019, ela deixou todos saberem que a flauta de jazz era legal novamente.

Você pode conferir Lizzo e os Fab Five em "Soulmate" abaixo:


quinta-feira, 4 de junho de 2020

Em comemoração ao Dia do Orgulho LGBTI+ Espetáculo 'Vida Viada' ao vivo on-line no DIGO Festival

Em Neon: quinta-feira, 4 de junho de 2020

Escrito e encenado pelo ator e cantor Guto Rocha, o espetáculo solo Vida Viada será apresentado na forma de uma live no perfil do Instagram do DIGO – Festival Internacional de Diversidade Sexual e de Gênero de Goiás, em comemoração ao Dia do Orgulho LGBTI, 28 de junho, 20 horas.

Trata-se de uma performance artística que une texto e músicas para descrever passagens de sua infância, na voz de Nunna Queer, drag queen criada pelo artista. No texto, ele aborda como lidou com a descoberta de seus desejos e expressões, como uma criança que sempre soube ser gay, mesmo
antes de entender o que isso significa.

"A ideia surgiu a partir de uma inquietação própria, da busca da minha infância como gay. E também da observação de outras crianças". Ele conta que o processo de criação foi muito rápido, e que a princípio, a ideia era escrever histórias ficcionais. "Comecei a mesclar coisas minhas e quando eu vi, todo o material era autobiográfico. São histórias e músicas da minha infância". A performance que se verá na live é o embrião de um projeto que ele pretende estender e agregar outras vivências: "Esta apresentação é um primeiro momento do espetáculo, o próximo passo é recolher histórias de mais pessoas LGBTQIA+ para compor um espetáculo maior e quando todo esse revés passar, encenar nos
palcos."

A partir de recordações de episódios específicos de sua infância, ele percorre um histórico de eventos definidores de sua identidade enquanto "criança viada" e os mistura a músicas que fizeram parte de sua infância. "As músicas são uma continuação das histórias que eu conto. Elas entram de uma maneira muito orgânica com o texto, dando continuidade ao texto ou ilustrando o que o texto fala".

No repertório, uma seleção de canções que fazem parte da memória afetiva de uma geração, de Xuxa a Luís Caldas.

As lembranças evocam passagens engraçadas, tristes e até mesmo traumáticas. "As pessoas LGBTQIA+ são mais reprimidas na infância. Meninos heterossexuais têm suas investidas sexuais e românticas incentivadas na adolescência, meninos gays aprendem que devem ter vergonha de ser como são. Isso numa fase que em que ele nem sabe o que está acontecendo com seu corpo. Gays, lésbicas, transexuais passam a vida inteira sofrendo pequenas rupturas, percebem que não conseguem se encaixar naturalmente em nenhum lugar."

Guto Rocha é ator e cantor com formação no Teatro Escola Basileu França. Em 2017 participou da montagem da peça Ópera do Malandro, de Chico Buarque, interpretando a icônica personagem Geni. Há dois anos se reveza nas apresentações do grupo Samba do Carlito e no show solo Toda Forma de
Amor, onde desfila um repertório romântico com textos e poesias sobre a diversidade sexual e de gênero. Nos palcos e nas redes sociais, se apresenta maquiado e transitando entre gêneros, por meio da drag queen Nunna Queer, seu alter ego, que dá voz a pessoas marginalizadas e oprimidas.

Serviço
Performance artística de Guto Rocha (@nunnaqueer)

Dia 28 de Junho
Às 20h
Perfil @digofestival
(Basta acessar a live no horário)
Doe para Casa de Renovo
Acolhimento LGBTI
https://picpay.me/casa.renovo

Acompanhe as lives do @digofestival !

O DIGO Festival através da campanha #digoficaemcasa está realizando lives com bate papo todas as terças, sextas e sábados, no instagram @digofestival, com convidados super especiais do Brasil e do Exterior falando sobre o universo LGBTI+ arte ! Não deixe de acompanhar !

sexta-feira, 29 de maio de 2020

Alcione lança álbum de inéditas, 'Tijolo por Tijolo'

Em Neon: sexta-feira, 29 de maio de 2020

Após vários adiamentos devido à pandemia, Alcione e a Biscoito Fino resolveram fazer o lançamento do álbum "Tijolo por Tijolo", o primeiro de inéditas em 7 anos,  no dia 29 de maio, sexta-feira!

Nos últimos anos, a cantora abraçou projetos que incluíam apenas hits, mas o público ansiava por novidades. No CD, com duas músicas que já estão nas plataformas digitais, homenagens a Pelé, ao Maranhão, e uma seleção de craques de várias gerações.

O "álbum físico" poderá ser adquirido no site da gravadora, a partir da mesma data em que o CD estará disponível nas plataformas digitais.

No último domingo, 24/05, via canal youtube.com/alcioneoficial, a pedido dos fãs, a cantora fez sua segunda live solidária, intitulada "Roda de Samba Original Apresenta Alcione, Live Solidária II", com participações das cantoras Sylvia Nazareth e Karinah. Instituições do Rio e Maranhão serão beneficiadas, conforme ocorrido na primeira Live.

quinta-feira, 14 de maio de 2020

Suprema Corte do Brasil põe fim a restrições à doação de sangue por gays

Em Neon: quinta-feira, 14 de maio de 2020

Foto: Reprodução
Um período de espera de 12 meses para homens que fazem sexo com homens será totalmente descartado.

A suprema corte do Brasil anulou as restrições de homens gays e bissexuais doarem sangue, no que está sendo anunciado uma vitória para os ativistas LGBT no país.

Oito dos 11 juízes do Supremo Tribunal Federal de Brasília votaram na sexta-feira (8 de maio) o fim das regras que proíbem homens que fizeram sexo com homens nos últimos 12 meses de doação de sangue, informa o Guardian e a Attitude Magazine.

Votaram a favor da possibilidade da doação os ministros Edson Fachin, Luiz Fux, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Cármen Lúcia e Alexandre de Moraes.

O tribunal disse que as regras eram inconstitucionais porque impunha restrições com base na orientação sexual.

"Em vez de o Estado permitir que essas pessoas promovam o bem doando sangue, restringe indevidamente a solidariedade com base em preconceitos e discriminação", escreveu o ministro da Suprema Corte Edson Fachin em seu voto.

A decisão vem quatro anos depois que o caso chegou originalmente à suprema corte do Brasil em 2016.

Nas últimas semanas, Estados Unidos, Dinamarca, Hungria e Irlanda do Norte reduziram as restrições de doação de sangue para homens gays e bissexuais de 12 meses para três meses, já que a pandemia de coronavírus aumenta a pressão sobre o suprimento de sangue.

Lady Gaga vende jockstraps, tanga e cueca com novo álbum 'Chromatica'

Será que Lady Gaga realmente acha que liberar jockstraps, tangas e cuecas Chromatica vai nos fazer perdoá-la pelas sete semanas de atraso do álbum? Ela está absolutamente certa, nós iremos.

Poucos dias depois de confirmar que seu sexto álbum de estúdio finalmente será lançado a partir de 29 de maio, a Mother Monster tentou apaziguar a multidão de homens gays em confinamento, desesperados por novas músicas, lançando uma gama de produtos do  Chromatica  adaptados às nossas necessidades muito específicas.

Juntamente com a faixa usual de tops, faixas e bonés que você normalmente vê uma artista pop lançar para marcar uma nova campanha de álbuns, a loja on-line Lady Gaga oferece jockstraps rosa choque estampados com as palavras  Chromatica. Tangas cor de rosa e cuecas verdes também estão disponíveis, para que homens gays de todas as posições e persuasões sejam capazes de permitir que suas conexões pós-bloqueio sejam exatamente quentes.


A jockstrap do Chromatica está disponível por US $ 30 com uma cópia digital do álbum, enquanto uma combinação de tanga / álbum custa US $ 20 e a dupla cueca / álbum sai por US $ 25.

E aí Lady Gaga está ou não perdoada pelo atraso?

quinta-feira, 23 de abril de 2020

Ator e Produtor Jô Santana Realiza Live, na Próxima Sexta Feira, dia 24, às 18h, com a Cantora Alcione e o Ator e Diretor Miguel Falabella

Em Neon: quinta-feira, 23 de abril de 2020

O ator e produtor Jô Santana, idealizador da trilogia do samba: Musical Cartola, O Mundo é um Moinho 2016, Dona Ivone Lara – Um Sorriso Negro 2018 e Marrom – O musical, com estreia prevista para o segundo semestre de 2020. Realizará live na próxima sexta feira, dia 24 de abril, às 18h, no  instagram @ator_jo.Santana onde irá conversar com a cantora e homenageada Alcione e o ator e diretor Miguel Falabella.

Jô irá  contar em primeira mão alguns detalhes de sua nova produção: Marrom - O Musical, texto e direção de Miguel Falabella, que irá homenagear em dose tripla os 50 anos de carreira da grande interprete do samba Alcione, musical, documentário e exposição no Itaú Cultural, previsto para o segundo semestre de 2020 em São Paulo.


Foi pensando em reservar um tempinho na agenda virtual para relaxar e conversar sobre nossos assuntos prediletos: Teatro, história do samba, curiosidades, bastidores,  grandes nomes da música… que nasceu "Lives do Jô - Trilogia do Samba", uma série de bate-papos virtuais onde Jô Santana diretor artístico da Fato Produções Artísticas, semanalmente bate um papo virtual com personalidades que fizeram e ou fazem parte dos espetáculos Cartola - O Mundo é um Moinho e Dona Ivone Lara- Um Sorriso Negro.

A série de Lives começou com o musical Cartola, o Mundo é um Moinho, o papo foi com o ator Flavio Bauraqui (que interpretou Cartola), a pesquisadora Nilcemar Nogueira, a atriz Silvetty Montilla (que participou do musical Cartola) e o diretor musical Rildo Hora. A segunda Live foi sobre o musical Dona Ivone Lara, Um Sorriso Negro! Jô conversou com o diretor e autor do musical Elísio Lopes Jr., o coreografo Zebrinha, o diretor musical Jarbas Bittencourt e o ator André Lara (neto de Dona Ivone Lara). Você não pode perder, vem assistir. Lives do Jô, Trilogia do Samba.

Serviço
Lives do Jô
Data: 24/04 (sexta feira)
Horário: 18h00
Canal do Instagram:  @ator_jo.santana
Apresentador Jô Santana
Convidados: Alcione (cantora e homenageada) @Alcionemarrom
                      Miguel Falabella (ator, diretor e dramaturgo) @miguelfalabella

segunda-feira, 30 de março de 2020

A Rainha RuPaul vai arrasar em 2020

Em Neon: segunda-feira, 30 de março de 2020

Fonte: Gay Times
Fotos: Reprodução / Divulgação

Sem sombra de dúvidas 2020 é o ano para RuPaul reinar absoluta, assim como o Drag Race e suas Drag Stars.

Nos primeiros meses de 2020, Mama Ru estreou na Netflix em uma nova série chamada AJ and the Queen (que foi injustamente cancelada) e fomos apresentados a 12 novas rainhas lendárias da última temporada de Drag Race.

Mas isso não é tudo... Em breve seremos abençoados com outra parcela do All Stars, bem como da Drag Race UK, e algumas das concorrentes mais lendárias do programa estarão se preparando para seus próprios spin-offs.

Veja abaixo o seu guia para 2020 sobre tudo o que é RuPaul's Drag Race.

AJ e a rainha (10 de janeiro)
Em janeiro, RuPaul fez sua estreia no Netflix Original em AJ and the Queen como Ruby Red, uma “drag queen maior do que a vida, mas sem sorte” que viaja pela América em um trailer; acompanhado por um órfão de 11 anos chamado AJ. A cada episódio, Ruby visita um clube de drag e realiza um “número musical lacrador”, onde ela se junta a 22 concorrentes lendários de Drag Race, incluindo: Alexis Mateo, Bianca Del Rio, Chad Michaels, Eureka O'Hara, Ginger Minj, Jade Jolie, Jaymes Mansfield, Jinkx Monsoon, Jujubee, Katya, Kennedy Davenport, Latrice Royale, Manila Luzon, Mariah, Mayhem Miller, Monique Heart, Ongina, Pandora Boxx, Porkchop, Trinity The Tuck, Valentina e Vanessa Vanjie Mateo. O vencedor do Emmy escreveu e produziu o programa ao lado de Michael Patrick King, que é mais conhecido por dirigir, escrever e produzir a comédia icônica da HBO Sex and the City, bem como seus dois filmes secundários. Josh Segarra (Orange is the New Black) também interpreta o namorado “perigoso” de Ruby, enquanto Katerina Tannenbaum (The Bold Type) interpreta Brianna, uma “prostituta sem noção” com uma profunda conexão com AJ. Michael-Leon Wooley (Dreamgirls), Tia Carrere (Wayne's World) e Matthew Wilkas (Bonding) completam o elenco. Infelizmente, o programa foi cruelmente cancelado após uma temporada, mas ainda vale a pena assistir. Michael-Leon Wooley (Dreamgirls), Tia Carrere (Wayne's World) e Matthew Wilkas (Bonding) completam o elenco. Infelizmente, o programa foi cruelmente cancelado após uma temporada, mas ainda vale a pena assistir.

Temporada de Drag Race 12 (28 de fevereiro)
A temporada 12 do Drag Race de RuPaul estreou em 28 de fevereiro no VH1. As rainhas da temporada são as seguintes: Aiden Zhane, Brita, Crystal Methyd, Dahlia Sin, Gigi Goode, Heidi N Closet, Jackie Cox, Jaida Essence Hall, Jan, Nicky Doll, Rock M. Sakura, Sherry Pie e Widow Von' Du. No entanto, após acusações, uma candidata foi desclassificada da temporada. Ela ainda aparecerá em cada episódio, mas será editada fora dos confessionários; com apenas suas pistas e desempenho no desafio, dado o tempo de exibição.

We’re Here (23 de abril)
As lendas do Drag Race, Bob the Drag Queen, Shangela e Eureka O'Hara, desembarcaram sua própria série da HBO, intitulada We’re Here. Ela seguirá as três artistas enquanto “inspiram e ensinam suas próprias filhas drags a sair da zona de conforto” enquanto viajam pelos Estados Unidos e capacitam as comunidades locais. Nine Rosenstein, vice-presidente executivo de programação da HBO, disse em um comunicado: “Drag é sobre confiança e auto-expressão. Estamos muito entusiasmados por mostrar o poder transformador da forma de arte com nosso público." É como se o Drag Race encontrasse o Queer Eye, então não fique chocado se a série for indicada ao Emmy. A estreia será no dia 23 de abril na HBO.

Drag Race All Stars 5 (5 de junho)
Há rumores de que as rainhas favoritas dos fãs, como Shea Coulee, Jujubee (foto acima), Miz Cracker, Alexis Mateo e Ongina, retornarão, bem como uma ligeira mudança no formato que fará com que os assassinos de sincronização labial retornem a cada semana, isso pode muito bem ser a melhor temporada desde All Stars 2. Estreia em 5 de junho no Showtime.

Celebrity Drag Race (primavera americana de 2020)
O Celebrity Drag Race do RuPaul vai ao ar em 2020 com quatro episódios e 12 concorrentes celebridades (três por episódio). Elas disputarão o título de Next Celebrity Drag Superstar da América, bem como um prêmio em dinheiro, que será doado à instituição de caridade de sua escolha. As celebridades serão auxiliadas por ex-participantes como: Alyssa Edwards, Asia O'Hara, Bob the Drag Queen, Kim Chi, Monét X Change, Monique Heart, Nina West, Trinity the Tuck, Trixie Mattel e Vanessa Vanjie Mateo. "Fazer drag não muda quem você é, revela quem você é", disse RuPaul.  

Drag Race Austrália (primavera australiana de 2020)
Ligue seus motores! A Drag Race estará exportando seu formato vencedor do Emmy no ITV Studios Australia e está confirmado para ir ao ar ainda este ano. David Mott, CEO do canal, comentou: “A Drag Race passou a ser um programa que captura a imaginação de todos, independentemente de idade ou sexo, e em breve começaremos a discutir com potenciais parceiros de transmissão e streaming. Será um dos formatos mais comentados e barulhentos no próximo ano. ” Não está confirmado se RuPaul e Michelle Visage retornarão - talvez a Courtney Act assuma o manto? Tudo o que sabemos com certeza é - e estamos falando em nome de todos os demais - Kath e Kim devem aparecer de alguma forma. Seria bom. Seria diferente. Seria ... incomum. 

Drag Race Canadá (verão canadense 2020) 
As rainhas do norte estão chegando... OFICIALMENTE. No ano passado, o Drag Race Canada foi confirmado como o mais recente spin-off internacional de World of Wonder e Ru. Mais tarde, foi revelado que a vice-campeã da 11ª temporada, Brooke Lynn Hytes, será uma juíza permanente da série, fazendo dela a primeira concorrente da história a participar de um painel de Drag Race. Juntando-se a Brooke estará o ator Jeffrey Bowyer-Chapman, que já atuou como convidado em Drag Race, e a juiza do Next Top Model do Canadá e rainha da pista Stacey McKenzie. Enquanto isso, a personalidade da TV e apresentadora Traci Melchor será o 'Primeiro Amigo Esquilo do Canadá' no programa, fazendo visitas especiais à casa para testar as rainhas com alguns desafios e fornecer uma dose de realidade quando necessário. Ele terá 10 episódios de uma hora e estréia em Crave e OUTtv.

Drag Race UK temporada 2 (Outono britânico 2020)
Em outubro passado, o Drag Race UK, do RuPaul, estreou após anos de antecipação à aclamação da crítica universal e rapidamente se tornou um fenômeno internacional, com mais de 10 milhões de pedidos no BBC iPlayer. Os Frock Destroyers chegaram ao top 40 da parada de singles do Reino Unido, tornando Break Up Bye Bye o lançamento mais bem-sucedido da história da franquia. O impacto! Então, quando foi anunciado que o Drag Race UK vai arrasar, dançar e ficar na BBC para uma segunda temporada, não foi surpresa para ninguém. "As rainhas desta temporada provaram que a Grã-Bretanha tem carisma, singularidade, coragem e talento, e eu quero ver mais!" Mama Ru disse em um comunicado. "Aqui está outra temporada de amor, risos e luz!" Kate Phillips, que trabalha para a estratégia de entretenimento da BBC, disse que a resposta à série do Reino Unido foi "nada menos que espeDRAGular" e que os espectadores "realmente levaram o show e as rainhas incríveis ao seu coração". Se seguir os passos de sua antecessora, a segunda temporada deve ir ao ar no canal no final de 2020. 

Adam Lambert diz que gostaria de interpretar George Michael em uma possível cinebiografia

Fonte: Gay Times

Adam Lambert, que ganhou fama no American Idol e está em turnê com o Queen nos últimos dez anos, disse ao Metro que gostaria de interpretar George Michael em uma possível biografia sobre o cantor.

"Eu gostaria de ver uma cinebiografia de George Michael", disse ele. “Eu acho que seria muito interessante."

“Isso seria legal, eu apenas sinto que não sabemos muito sobre ele. Você sabe, para mim, seria ótimo explorar a vida de George."

Quando pressionado sobre se interpretaria George na cinebiografia, Adam riu e respondeu: “Eu daria uma chance. Sim, inscreva-me."

O cantor também disse à publicação que seu último álbum, Velvet, não é apenas o álbum mais "autêntico", mas também o mais "estranho" até o momento.

"Você tinha que tocar de acordo com uma certa estrutura para ter a oportunidade de tocar no rádio e ter apoio comercial", explicou Adam.

“E uma das grandes coisas agora é que estamos em um momento em que, por causa do streaming, você realmente tem uma linha direta com seu público. E aqueles tabus sociais estão desaparecendo. ”

No início deste ano, Adam lançou uma nova fundação de apoio aos direitos humanos LGBTQ, a Feel Something Foundation.

Em um post no Instagram, Adam disse que a missão das fundações é "apoiar organizações LGBTQ + que estão movendo a agulha para comunidades de todas as idades e origens".

A organização trabalhará com instituições de caridade que se concentrem em questões que afetam desproporcionalmente a comunidade LGBTQ em áreas como educação e artes, falta de moradia, prevenção de suicídio e saúde mental.




domingo, 29 de março de 2020

Grupo Arco-íris e Casa Nem fazem campanhas solidárias aos LGBTI+

Em Neon: domingo, 29 de março de 2020

Se você pensa em seus amigos LGBTI que estão desamparados com o Coronavírus e quer ser solidário a eles, abaixo você tem duas formas de ajudar. Uma através do Grupo Arco-íris e a outra pela Casa Nem. Ajude como puder!!!

GRUPO ARCO-ÍRIS
"Se você é uma pessoa LGBTI do Rio de Janeiro em situação de vulnerabilidade social e/ou está desempregada/o, em especial pessoas trans, o Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBTI está cadastrando para o recebimento de cestas básicas e para itens de limpeza e higiene.

Estamos buscando apoio de órgãos públicos, do setor privado e de pessoas que possam fazer doações às/aos LGBTI que mais precisam de nossa comunidade.

Para fazer o seu cadastro, acesse AQUI

Caso você tenha dificuldade de preencher o formulário entre em contatos com os telefones (21) 98289 – 2391 e 98863-0601. Ligar somente entre 09 às 20h.

Para outras informações e/ou doações entre em contato com os telefones: (21) 98351-8759 ou 99318-0047. Ligar somente entre 09 às 20h.

Ajude a compartilhar essa mensagem.

Grupo Arco-Íris contra o Coronavírus – Informação, Apoio Emocional e Proteção Social"

#Solidariedade
#GrupoArcoIrisContraCoronavirus

CAMPANHA REDE DE SOLIDARIEDADE CASA NEM
"Estamos em casa, mas a solidariedade deve estar nos lares. Se você tem interesse em ajudar, por favor, leia o texto abaixo:
Nós da Rede Trans Brasil, estamos muito apreensivos com este período de quarentena, sabemos que a população LGBT em situação de rua e as pessoas trans profissionais do sexo, são as mais excluídas da sociedade, ficando assim muito mais vulneráveis a este crítico período. Com isto, a Rede Trans Brasil através da inciativa da ativista Indianare Siqueira, afim de reunir uma rede de auto ajuda às casas de acolhimento LGBTIQA+ em funcionamento no Brasil lança a CAMPANHA REDE DE SOLIDARIEDADE, e convoca a todes, para que façam doações de cestas básicas e/ou produtos de higiene/limpeza, que funcionará da seguinte maneira:
Você tem duas formas de doar:
1º- Podendo ser diretamente à casa de acolhimento da sua região, fazendo uma doação em dinheiro para Casa Nem através das contas:
Grupo Transrevolução
CNPJ: 27.720.290/0001-02
Banco do Brasil
Agencia: 3114-3
Conta: 18.970 -7
ou
Indianara Siqueira (Presidente do Grupo Transrevolução, Coordenadora da CasaNem)
CPF: 941.535.749-53
Banco do Brasil
Agência: 3114-3
Conta Corrente: 22.350-6
Informando a sua doação através do WhatsApp da CasaNem: (21) 96829-0296, a sua cidade/região do país e disponibilidade da ajuda com comprovante do depósito, para facilitar a identificação e encaminhamento da doação.

2º- Pode ser na modalidade de compra virtual:
Entra em contato no WhatsApp da Rede Trans Brasil, pelo nº: (79) 99946-9609, informando sua intenção de doar.
* Buscaremos a instituição filiada em sua cidade ou estado e repassaremos o WhatsApp da instituição/ponto focal local (a Rede Trans Brasil tem filiados em todos estados da federação e no DF);
* O ponto focal indicara para você os dados da(s) pessoa(s) e seu(s) endereço(s);
* O ponto focal informará um serviço de supermercado que venda e faça a entrega dos produtos da doação, para que o doador possa acertar tudo diretamente com a empresa.
É importante frisar que a Rede Trans Brasil não trabalhará recolhendo dinheiro, estaremos apenas servindo como uma ponte conectando as pessoas para ajudar!
 
Todos os direitos reservados para © 2014 Em Neon
Desenvolvido por Code Art Design by Maurício Code