NOVIDADES

COMPORTAMENTO

sexo

Vídeos

Arquivo Em Neon

Entretenimento

Mundo LGBTI

Divertidíssima

GALERIAS

terça-feira, 21 de maio de 2024

'Ana Cañas Canta Belchior', no Vivo Rio, com a participação de Ana Carolina

Em Neon: terça-feira, 21 de maio de 2024


Ana Carolina será a convidada de Ana Cañas no espetáculo de encerramento da turnê no Vivo Rio
(Mais de 180 shows e 100 mil espectadores e Prêmio de Melhor espetáculo do Ano pela APCA)

Fotos: Marcus Steinmeyer

“Essa turnê me emocionou tanto... é o momento mais bonito de toda a minha carreira! Encerrá-la com apresentações especiais em casas incríveis, acima de tudo, é o que o Belchior merece! Vai ser muito emocionante!” diz a artista, que optou por encerrar essa  vitoriosa turnê em um dos locais mais icônicos da atualidade: o Vivo Rio, na Cidade Maravilhosa. No dia 26 de maio, às 20 horas, Ana Cañas  pisará no palco do Vivo para apresentar, pela derradeira vez, um show elogiado pela crítica e aplaudido por um Brasil inteirinho. Espetáculo que contará com a participação muito especial  da cantora Ana Carolina!!! Em outras ocasiões, como por exemplo em SP, Cañas dividiu o palco com uma outra grande estrela da mpb: Ney Matogrosso.

Emoção, visceralidade, entrega e paixão são algumas palavras usadas pelo público para descrever o êxito do show "Ana Cañas Canta Belchior". A coleção de sucessos do projeto começou em sua primeira apresentação: uma live, em plena pandemia, assistida por mais de 600 mil pessoas virtualmente. Hoje, o espetáculo já ultrapassou a marca dos 100 mil espectadores! Devido à imensa repercussão e pedidos acalorados do público, o que era para ser uma apresentação única transformou-se no show que já passou por mais de 180 palcos pelo Brasil e recebeu o prêmio de “Show do Ano” pela APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte).

Em 2024, a trajetória do projeto, em sua fase final, ainda tem agendadas apresentações, sempre com casas lotadas, e pelas principais cidades do país, antes de chegar ao Vivo Rio.

PRINCIPAIS HITS E CANÇÃO INÉDITA

Além de clássicos como as faixas “Como Nossos Pais”, “Sujeito de Sorte” e “Velha Roupa Colorida” no repertório, a artista apresenta ao público uma canção até agora inédita de Belchior chamada “Um Rolê No Céu”, que foi dada de presente à ela pelos filhos do compositor.

"Essas últimas apresentações serão muito especiais! Teremos convidados maravilhosos em algumas cidades, música inédita de Belchior e a certeza de que o legado do poeta de Sobral está entre os maiores da história da música brasileira".


Serviço

"ANA CAÑAS CANTA BELCHIOR" no VIVO  RIO (Encerramento da turnê)
Participação especial - ANA CAROLINA
Dia 26 de maio - 20 horas
Avenida Infante Dom Henrique, 85 - RJ/RJ
Músicos - Fabá Jimenez (guitarra e violão), Rovilson Pascoal (violão), Bruno Marcucci (teclado), Estevan Sinkovitz (baixo), Douglas Maiochi (bateria)
Ingressos - Bilheteria do Vivo Rio (das 16 horas até o horário dos eventos e, em dia de shows, até o fechamento da casa, pelo totem que se encontra no foyer) e on-line, via site/App da Sympla)
Classificação etária - 18 anos (menores de 18 anos entram acompanhados dos pais e/ou responsáveis)
Realização  - Estreia Produções

ANA CAÑAS CANTA BELCHIOR - AO VIVO (DVD)

https://youtu.be/CbrmMsnLyPM

REDES SOCIAIS

Instagram: https://www.instagram.com/ana_canas/

YouTube: https://www.youtube.com/user/anacanasoficial

Twitter: https://twitter.com/anacanas

Facebook: https://www.facebook.com/anacanasoficial

Spotify: https://spoti.fi/3CqaoHX

Site: https://www.anacanas.com.br/ Turnê em que Ana Cañas interpreta o repertório de Belchior chega às últimas apresentações após o sucesso de mais de 180 shows

sexta-feira, 17 de maio de 2024

Por que a solidão é a maior ameaça que se aproxima da comunidade LGBTQ+

Em Neon: sexta-feira, 17 de maio de 2024



O aumento do isolamento impacta a comunidade LGBTQ+. Sem um envolvimento social significativo e apoio comunitário, as consequências para a saúde física e mental podem ser terríveis.

Por: MATTHIEU JOST para a OUT

Algo tem acontecido na última década e está prestes a ter um impacto profundo na nossa comunidade durante a próxima década: tanto os americanos como os não-americanos estão perigosamente isolados. As pessoas, jovens e velhas, tornaram-se mais deprimidas, solitárias e tristes. Vá a qualquer bairro, pergunte a todos que você vê na rua, e provavelmente mais pessoas do que nunca dirão a palavra “sozinho”. A Organização Mundial da Saúde considerou recentemente o isolamento social um dos maiores problemas de saúde pública para os idosos.

A nossa comunidade LGBTQ +, em particular, está afetada pela solidão e isolamento e por um sentimento de estar isolado da comunidade em geral. Um em cada três adultos LGBTQ+ sofre de doença mental neste momento, contra um em cada cinco adultos heterossexuais. Os nossos idosos têm duas vezes mais probabilidades de viver sozinhos, sem ninguém cuidar deles durante os seus anos de crepúsculo, quando todos precisam de amor, apoio e assistência física para fazer até mesmo as coisas normais da vida.

Muitas pessoas dirão que a pandemia de COVID-19 causou isso, mas a pesquisa mostra que isso vem acontecendo há pelo menos uma década. A pandemia apenas ampliou um problema que já existia de uma forma que ninguém conseguia realmente compreender.

Além de ceifar muitas vidas inocentes e de piorar os resultados de saúde de muitos na nossa comunidade, as dificuldades econômicas da pandemia também significaram que houve uma obliteração de locais que são essenciais para a saúde social e mental do nosso povo: restaurantes, lojas, saunas, bares e muito mais. Muitas famílias e jovens mudaram-se para locais fora das cidades. Houve uma mudança no local onde as pessoas viviam, resultando em alguns bairros, tornando-os modernos, gentrificados e superfaturados, expulsando muitos de nós dos bairros em que vivíamos e amávamos.

Embora a tecnologia tenha conectado o mundo inteiro e nos dado um portal para entretenimento e conexões com milhões de outras pessoas, agora está sendo demonstrado que as mídias sociais estão potencialmente nos destruindo. Uma pesquisa da American Psychological Association, por exemplo, descobriu que muito no telefone pode levar ao isolamento, substituindo a interação e a conexão social genuína a que as gerações mais velhas estavam acostumadas.

Foto: Warren Wong | Unsplash

Como os aplicativos de namoro têm esse componente de feed de mídia social, esses aplicativos também estão apenas aumentando o isolamento. Além do mais, os aplicativos LGBTQ+ focados em namoro são voltados principalmente para homens gays, um risco problemático de preconceito e discriminação. Até mesmo tentar fazer amigos em aplicativos de namoro aparentemente faz com que você seja criticado nas redes sociais. A situação ficou tão ruim que até a Geração Z está abandonando o namoro em seus telefones por medo de parecer “estremecida” ou de ser rejeitada.

A razão pela qual sinto a necessidade de soar o alarme é que muitos de nós, Geração X e Millennials, entraremos em nossos anos de “velhos sábios” na próxima década, e entrar neste estágio sentindo-nos isolados significa que será mais provável que você tenha uma queda repentina na saúde física. A solidão tem sido associada a problemas cardiovasculares, sistema imunológico enfraquecido, aumento das taxas de mortalidade, condições crônicas de saúde e expectativa de vida ainda mais curta. Se você está sozinho, é mais provável que sofra depressão, ansiedade, declínio cognitivo e, pior, corre um risco maior de desenvolver demência e doença de Alzheimer.

As soluções são simples. Precisamos sair da sombra dos nossos telefones, encontrar novamente o equilíbrio e encontrar experiências cara a cara onde os nossos telefones terminam e a vida real começa. Para nos sentirmos vivos novamente, precisamos criar e manter relacionamentos genuínos, amigos verdadeiros e conexões reais. Isso também significa fazer um pequeno esforço para sair e encontrar coisas que nos interessam; hobbies ou esportes, atividades, passeios e viagens para lugares lindos.

Sou tecnólogo e, portanto, estou otimista. Saímos do caminho devido a mudanças sociais sísmicas como as mídias sociais, fatores econômicos e demográficos e uma pandemia horrível. No entanto, abordar esta questão requer uma abordagem abrangente com foco na construção de conexões fortes e em estar hiper-sintonizado para criar relacionamentos significativos.

Devemos ter muito cuidado ao fazer isso, especialmente à medida que envelhecemos e juntos gozamos de boa saúde. Afinal, se há algo que aprendemos com as gerações anteriores é que a comunidade pode salvar você.

Matthieu Jost é cofundador e CEO da comunidade de viagens e rede social misterb&b. O site lançou um novo recurso chamado Weere, que permite aos viajantes se conectarem socialmente com outros viajantes e moradores locais para encontrar os melhores lugares.

quinta-feira, 16 de maio de 2024

Feira de Vinil do Rio faz sua primeira edição do ano homenageando Roberto Menescal e recebendo também Chico Adnet

Em Neon: quinta-feira, 16 de maio de 2024

Foto: Luciola Vilela


Com entrada franca e cerca de 2000 frequentadores por edição, evento reunirá no Instituto de Arquitetos do Brasil, no Catete, apresentações de DJs e expositores de todo o país, além da presença de Chico Adnet, autografando seu LP “Triste”, lançado em janeiro. Em parceria exclusiva com a gravadora Rocinante, frequentadores da Feira de Vinil ganharão desconto na compra do novo LP de Hermeto Pascoal, a ser lançado no fim de maio.

Foto: Divulgação

Evento mais do que consagrado no calendário cultural da cidade, a 25º Feira de Vinil do Rio de Janeiro fará sua primeira edição do ano no próximo dia 19 de maio, domingo, no Instituto de Arquitetos do Brasil, no Catete. Desta vez, o evento irá homenagear o compositor Roberto Menescal (foto acima), que irá prestigiar o evento e receber, em mãos, o Troféu Ivan Miguel Conti, uma homenagem que leva o nome do saudoso baterista “Mamão” (que recebeu, inclusive, o troféu em vida quando a premiação foi dedicada ao grupo Azymuth). Ao longo das últimas edições, o evento entregou o troféu a grandes lendas da música brasileira, como Antônio Adolfo, Antônio Carlos & Jocafi, Joyce, João Donato, Doris Monteiro, Leny Andrade, Marcos Valle, Arthur Verocai, Carlos Dafé e Wilson das Neves, dentre outros. Com produção executiva de Marcello Maldonado e direção artística de Marcello MBGroove, a 25º Feira de Vinil do Rio de Janeiro tem o patrocínio das gravadoras Rocinante e Universal Music Store. Assim como nas edições anteriores, será cobrada como entrada simbólica 1 kg de alimento, a ser entregue na Casa São Francisco de Assis.

Foto: Divulgação

O pianista, compositor e arranjador Chico Adnet (foto acima) irá marcar presença autografando o LP “Triste”, lançado em janeiro com tiragem reduzida de 500 cópias – o álbum foi lançado nas plataformas digitais no fim de 2023. Ao longo do dia, vários DJs também apresentação seus sets em vinil, especialistas nos mais variados estilos; MPB, Black Music, Rock, Eletronic. Cerca de 60 expositores de todo o Brasil estarão presentes com discos e CDs. Do Rio, participarão, dentre outros, a Tropicália Discos e a Scheherazade, além da Garimpo Discos, Maraca Discos. Os paulistas serão representados pelo Never Records, Sonzeira, Human Head, Pindorama e Mafer Discos, só para citar algumas.

Foto: Luciola Vilela

Com um disco de inéditas do Hermeto Pascoal no forno, a gravadora Rocinante irá disponibilizar vouchers com um desconto especial para a pré-venda deste título, exclusivamente para os participantes da feira. Batizado de "Pra você, Ilza", o novo disco de Hermeto é uma homenagem à memória de sua esposa e conta com 13 músicas selecionadas de um total de 198 partituras registradas em um caderno dedicado a ela. O disco será lançado pela gravadora no dia 28 de maio, em formato de LP e estará disponível nas principais plataformas de streaming. O desconto será válido até o dia do lançamento através do site: www.rocinantetreselos.com .

Foto: Luciola Vilela

Além disso, durante o evento, estarão à venda os títulos lançados pela parceria de relançamentos entre a Rocinante e a Três Selos. Isso inclui a edição especial de "Tudo Foi Feito Pelo Sol" dos Mutantes, a reedição em vinil de "Efêmera" de Tulipa Ruiz, o vinil duplo "D" de Djavan, "Ao Arrepio da Lei" de Chico César e Zeca Baleiro, "Canções Brasileiras" de Novelli, e outros títulos imperdíveis para os amantes da música e do vinil.


Serviço

25° Feira de Discos de Vinil do Rio de Janeiro
Dia: 19 de maio, domingo
Horário: 11h às 19h
Local: IAB -Instituto de Arquitetos do Brasil
Endereço:  Beco do Pinheiro, 10, Catete, Rio de Janeiro
Entrada: 1 kg de alimento não perecível
Classificação: livre
Informações: 21-98181-9733 

23ª Feira Cultural da Diversidade LGBT+ transforma o Memorial da América Latina em um espaço de celebração da diversidade, do empreendedorismo e da cultura


A Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo (APOLGBT-SP) anuncia a 23ª edição da Feira Cultural da Diversidade LGBT+, que será realizada no dia 30 de maio de 2024, quinta-feira, feriado de Corpus Christi, no Memorial da América Latina, das 10h às 21h. A entrada é gratuita com pré-cadastro na Sympla. 

A Feira Cultural da Diversidade LGBT+ se consolida como um dos principais eventos da comunidade LGBT+ do Brasil, reunindo milhares de pessoas para celebrar a diversidade, o empreendedorismo e a cultura.

O evento oferece uma plataforma gratuita para empreendedores e artistas LGBT+ apresentarem seus produtos, serviços e talentos para um público amplo e diversificado. O evento contará com mais de 200 expositores, além de apresentações musicais, teatrais, de dança e diversas outras atividades culturais.

Entre os expositores, estarão nomes como ACRE (roupas e acessórios de moda autoral para os públicos masculino, feminino e agênero); YAG SPA (estética avançada); IMPÉRIOSEX (sex shop); ARDES ESTILO LIVRE (moda masculina underwear e beachwear); TWNT4 (camisetas oversized agênero e produtos voltados ao público LGBT+); SOU PRIDE (regatas, camisetas, shorts, sungas, canecas, correntes, brincos e acessórios em geral); MELISSA MAURER (fotógrafa de Alto Paraíso de Goiás que vem mostrar seu trabalho autoral com personagens LGBT+); CASA CÊNICA PRODUTORA CULTURAL (informações e roteiros turísticos LGBT+); DUQUE CASA DECORAÇÃO (itens em tear, mantas, redes, almofadas, toalhas, jgs americanos, passadeiras, tapetes etc); RAFAEL ANDRADE (flash tattoo com temáticas do orgulho LGBT+); PADME STORE (óculos solares e armações para grau para o público fashion e queer); GERGELIM PRODUÇÕES (cartões postais com fotografias autorais homoeróticas e fotografias em grande formato emolduradas); EDITORA CANDIDO (organizadores da área da Flip para autores e livros com temática LGBT+; UNIVERSO ORACULAR (leitura de oráculo e produtos esotéricos); e EDITORA ARDANE (livros com foco em espiritualidade e magia).

A Feira terá ainda a presença de diversas ONGs e instituições, como o Instituto Mais Diversidade, a Comissão de Diversidade Sexual e de Gênero da OAB SP, o IBRAT, o Centro Cultural da Diversidade e o Museu da Diversidade Sexual, entre outros. Além disso, diversos empreendedores e artistas LGBT+ terão a oportunidade de apresentar seus trabalhos e produtos, contribuindo para a diversidade e o fortalecimento da comunidade.

O evento também se consagra como um espaço para diálogo e reflexão sobre temas relevantes para a comunidade LGBT+, como direitos humanos, diversidade sexual, gênero e identidade. Haverá workshops, palestras e debates com especialistas e ativistas, além de atividades de conscientização e engajamento social.

Histórico da Feira Cultural da Diversidade LGBT+

Em 2001, com o começo da consolidação da Parada do Orgulho LGBT+ de São Paulo, houve a necessidade de criar um calendário oficial com mais eventos com participação ativa da comunidade LGBT+. Inspirada na Castro Street Fair, de San Francisco, a Feira nasceu com o nome de Feira da Vieira no Largo do Arouche, lugar de maior visibilidade e acolhimento para a população LGBT+. 

A 1° edição contava com 15 tendas e, pela primeira vez, um palco na Av. Vieira de Carvalho com o Largo do Arouche foi destinado a artistas e talentos LGBT+ em início de carreira. Neste período, a Feira contou com vários apoiadores históricos, como o estilista Walério Araújo, que fez a produção do palco com dezenas de peças de chita; a icônica travesti Alma Smith e apresentação da Silvetty Montilla, entre outras. De acordo com a Polícia Militar, a feira recebeu um público estimado de 15 mil pessoas.

Devido ao seu crescimento e expansão, houve a necessidade de transferi-la, depois de algumas edições, para um espaço maior. Dessa forma, a Feira ocorreu na Praça da República e no Vale do Anhangabaú. Foi em 2005 que, pela sua importância e crescimento, ela passou a se chamar Feira Cultural da Diversidade LGBT+. Desde o ano passado, a feira é realizada no Memorial da América Latina.

Patrocínio Master de Amstel
Patrocínio TERRA e VIVO
Copatrocínio L'Oréal Groupe
Apoio Amstel VIBES
Apoio Institucional Memorial da América Latina


Serviço
23ª Feira Cultural da Diversidade LGBT+
Data: 30 de maio de 2024, quinta-feira, feriado de Corpus Christi, das 10h às 21h
Local: Memorial da América Latina - Av. Auro Soares de Moura Andrade, 660 - Barra Funda, São Paulo - SP
Entrada: Gratuita com pré-cadastro online no link da Sympla
Como chegar: Metrô Barra Funda (Linha Vermelha), táxi, aplicativo, ônibus Terminal Barra Funda ou carro (estacionamento pago no local)

A 23ª Feira Cultural da Diversidade LGBT+ é uma realização da APOLGBT-SP, com o apoio do Governo do Estado de São Paulo, da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas e da Prefeitura da Cidade de São Paulo.

Exposição Individual de Zaq Guimarães Inaugura Galeria Casarão Brasil


Junho, mês do orgulho LGBTQIAPN+, chega trazendo novas cores ao circuito das artes com a inauguração da Galeria Casarão Brasil. O espaço fica na cidade de São Paulo e vem para valorizar o trabalho de artistas LGBTI. Durante o mês de abertura, de 1º a 30 de junho, a galeria apresenta “As Constelações Celulares”, exposição individual de Zaq Guimarães, artista visual e cinegrafista brasileiro radicado na Suíça. É a primeira vez que ele expõe no Brasil.

A exposição reúne pinturas que refletem um processo paciente e meticuloso de releitura de imagens médicas. Ainda tratam da relação de mais de 30 anos do artista com o HIV. Ao fazer exames para o tratamento de uma doença causada por bactéria, ele se deparou com as imagens ampliadas de seu corpo, em especial, das células. Essas imagens constituem a base da pesquisa e propõem uma reinterpretação artística do imaginário das organelas, dos vírus e das bactérias, associando às constelações, às galáxias, às estrelas e aos planetas.

“Minhas constelações celulares representam o desejo de representar através de formas coloridas um olhar interior, de me ver de dentro para fora neste mundo atual tão preocupado com superficialidades. Conviver com o vírus me ensinou a escutar meu corpo e encontrar uma linguagem artística para exorcizar o medo e aprender a entender os outros e as suas fobias”, conta Zaq.

As obras também estarão à venda e todo o valor será destinado a continuidade dos projetos da Casarão Brasil, organização social que, desde 2018, atua como alicerce para a comunidade LGBTI, desenvolvendo iniciativas nas áreas da assistência social, cultura, educação e saúde, entre elas a galeria.

Com muito orgulho, a Galeria Casarão Brasil traz “As Constelações Celulares”, de Zaq Guimarães – a primeira exposição dele no país. Abre as suas portas, com especial destaque para a potência e a pluralidade artística da população LGBTI, com espaço dedicado a exposições, vernissages, residências artísticas, coworking, um espaço cultural integrado e integrativo para a comunidade LGBTI, bem localizado e próximo ao Vale do Anhangabaú.

Zaq Guimarães, nasceu no Rio de Janeiro, 1963. Mora e trabalha na Suíça, Artista visual e cinegrafista. Formado em cinema pela École Supérieure des Beaux Arts (Genebra, Suíça). No campo da pintura, explora várias técnicas para compor a partir da observação do universo microcelular e científico. O artista apresenta seus trabalhos em galerias e espaços culturais de referência, como Centre d'Art Contemporain Genève (Genebra, Suíça). Participa de instalações audiovisuais e exibições em festivais de cinema, além de colaborar em eventos voltados ao debate e conscientização sobre o HIV. Em 2003, seu documentário Constats foi premiado pelo Fond Cantonal d’Art Contemporain. É presidente da PVA, associação criada por pessoas que vivem com o HIV.


Serviço 
Exposição “As Constelações Celulares” de Zaq Guimarães Data: De 1º à 30 de junho de 2024
Horário: segunda a sexta 15h às 19h; sábado 10h às 13h
Local: Galeria Casarão Brasil - Rua Coronel Xavier de Toledo, 210 - conjunto 111 - República  Classificação indicativa: livre
Entrada gratuita
@Casarao_Brasil
www.casaraobrasil.org.br

Especulação imobiliária e marchinhas de carnaval temperam a comédia sobre o tal 'politicamente correto' no Brasil


"Daqui Ninguém Me Tira" é uma comédia musical que traz uma mensagem poderosa através da história de Velvet (Alexia Twister), uma drag queen que se vê prestes a ser despejada de seu antigo barracão para dar lugar a novos empreendimentos. Escrita por Noemi Marinho, a peça aborda de forma humorada e reflexiva o conflito entre o progresso representado por Herculano (Giovani Tozi revezando com Anderson Müller), um funcionário de uma grande incorporadora, e a preservação da memória e identidade de Velvet.

Na trama, Herculano se vê dividido entre apoiar Velvet e cumprir suas obrigações profissionais, criando um embate interessante, que não se resume a mocinhos e bandidos. A comédia musical explora os dois lados da história, questionando como conciliar o avanço urbanístico com a manutenção das raízes e do patrimônio cultural.

A encenação de Neyde Veneziano se inspira nos numerosos canteiros de obras da cidade de São Paulo, estabelecendo uma analogia entre a rica memória do Teatro de Revista, simbolizada pelas exuberantes vedetes, e o gradual desaparecimento da arquitetura urbana, junto com suas histórias entrelaçadas.

Veneziano é reconhecida como uma das principais autoridades no estudo do Teatro de Revista, tendo escrito cinco livros sobre o assunto. Durante uma entrevista com Jô Soares, o apresentador fez questão de destacar que a diretora "introduziu o Teatro de Revista no ambiente acadêmico". Em 2024, após anos de estudo dedicados à figura da vedete, Veneziano faz uma afirmação provocativa em Daqui Ninguém Me Tira: "A herdeira da vedete é a drag”.


A dramaturgia de "Daqui Ninguém Me Tira" é assinada por Noemi Marinho, conhecida por seu trabalho em sucessos de bilheteria como "Almanaque Brasil", "Fulaninha e Dona Coisa" e "Brasil S/A", tendo recebido reconhecimento através de prêmios como Shell, APETESP, APCA e Mambembe. Noemi desenvolve uma narrativa com diálogos ágeis, fundamentada no embate ideológico dos protagonistas.

O grande desafio da trama foi explorar a humanidade e os princípios que motivam cada personagem, sem recorrer à dicotomia entre bem e mal. Desde o início do espetáculo, o público é levado a uma jornada eletrizante, com canções e imagens, imergindo nas motivações dos personagens, algo cada vez mais raro em tempos de polarização. Empatia é uma palavra que parece simples, mas esbanja complexidade.

Sobre a dramaturgia de Noemi Marinho, no livro "O Teatro de Noemi Marinho", Márcia Abujamra destaca: "a percepção aguda que Noemi Marinho tem de seus personagens se reflete em um diálogo ágil que surpreende o leitor-espectador pelas conclusões que sugere e, se não quisermos ser deixados para trás, nos obriga a acompanhar e participar ativamente de cada momento. Assim são as peças e os personagens de Noemi Marinho: em constante movimento." (Imprensa Oficial, 2007).

Idealizado pelo ator e produtor Giovani Tozi, Daqui Ninguém Me Tira representa a união de duas figuras femininas de extrema relevância na história do teatro brasileiro: Noemi Marinho e Neyde Veneziano. Esta colaboração resulta em um diálogo rico e significativo sobre a sensibilidade à diversidade. Marinho e Veneziano abrem-se para a escuta ativa e a troca de ideias, mergulhando em reflexões extremamente atuais sobre como promover a inclusão e a consciência social em um contexto marcado pela crescente individualidade e solidão nas grandes metrópoles.

O espetáculo não apenas entretem, mas também busca provocar o espectador a refletir sobre questões essenciais da sociedade contemporânea, como a importância de valorizar e respeitar a diversidade em todas as suas formas.

Tozi desenvolve sua pesquisa de doutorado sobre Jô Soares na Unicamp, através de uma pesquisa sobre o humor. Nela, o ator se aprofunda em teorias contemporâneas sobre a comicidade e de que forma os atores podem desenvolver e aperfeiçoar as formas de provocar o riso no público. Questionado sobre o porque dessa vontade em fazer o público rir, Tozi cita Jô Soares: “só o humor pode salvar o Brasil.

"Daqui Ninguém Me Tira" mergulha nas tensões geracionais e ideológicas, buscando inspiração no caos urbano para criar uma fusão entre marchinhas de carnaval e hits da música pop, refletindo os fragmentos de um passado já distante. A presença da banda ao vivo estabelece o ritmo de um bloco de carnaval fora de época, mas também anuncia o desfecho inevitável.

Trágico e cômico "Daqui Ninguém Me Tira" é um ensaio sobre nossa capacidade (ou falta dela) de conviver com o outro, e a inabilidade de lidar com os conflitos que permeiam as relações humanas.

Sobre o texto de Noemi Marinho

Sobre as atualizações em relação à primeira versão do texto, Noemi diz: “Velvet agora, ainda que filha espiritual do glorioso Teatro de Revista, é sangue novo pulsando futuro. Tem brilho próprio, além do cosmético, naturalmente. E a empresa que Herculano representa está ainda mais voraz e audaciosa”.

De acordo com a autora, “o texto original dramatizava um pouco a audácia e a ganância das incorporadoras. A realidade, mais uma vez, superou a ficção: todos temos uma rua ou um bairro do coração que já está destruído ou ameaçado. A ficção agora só pontua”.


Ficha técnica
Texto: Noemi Marinho
Argumento: Giovani Tozi
Direção: Neyde Veneziano
Elenco: Alexia Twister e Giovani Tozi
Trilha Sonora: Rafael Passos
Piano: Rafael Passos
Sopro: Rafaela Penteado
Cenário e Figurino: Fábio Namatame
Iluminação: Domingos Quintiliano
Direção de Vídeo: Matheus Luz
Assistente de direção: Pedro Machitte
Administração Financeira: Carlos Gustavo Poggio
Produção Executiva: Felipe Calixto e Nayara Rocha
Assistência de Produção: Bruno Tozi
Assessoria de Imprensa – Arteplural – Fernanda Teixeira e Macida Joachim
Assessoria Jurídica: Martha Macruz de Sá
Direção de Arte Gráfica, Produção e Idealização: Giovani Tozi
Realização: Tozi Produções Artísticas, CG Educação e Arte

Estreia temporada Teatro Sabesp Frei Caneca
Dia 17 de maio de 2024 | 19 h
Até 28 de junho.Duração: 75 minutos
Ingressos: R$ 80,00 (40,00 meia) e R$ 60,00 (R$ 30,00 meia)

Classificação: 12 anos. Menores de 14 anos, somente poderão entrar acompanhados dos pais ou responsáveis e crianças até 24 meses de idade que ficarem no colo dos pais, não pagam.

Turnê
4 de maio - Teatro Guarany - Santos
11 e 12 de maio - Teatro Colinas - São José dos Campos
8 de junho - Teatro Municipal São Bernardo do Campo
22 e 23 de junho - Daqui Ninguém Me Tira - Teatro Municipal São José do Rio Preto
24 de agosto - Teatro Municipal Sorocaba


quarta-feira, 15 de maio de 2024

Peru Classifica Pessoas Trans Como “Doentes Mentais”

Em Neon: quarta-feira, 15 de maio de 2024

Foto: Fotoholica Press

Condição passa a figurar na lista de patologias que devem ser contempladas em tratamentos oferecidos por planos de saúde

O Ministério da Saúde do Peru rotulou a transexualidade e os transtornos de identidade de gênero como ‘doenças mentais’. O Ministério da Saúde defende que é a forma legal de lhes conceder tratamento psicológico gratuito. Sob a assinatura da presidente Dina Boluarte (sem partido), o decreto referente a esse assunto foi publicado no Diário Oficial peruano na sexta-feira (10). O Decreto Supremo nº 009-2024-SA, consiste na atualização do Plano de Seguro de Saúde Essencial (PEAS), documento que contém uma lista detalhada das condições, intervenções e cuidados que são financiados para todos os segurados e aplicado em centros de saúde públicos e privados no Peru.

O Decreto registra “transexualismo, travestismo de duplo papel, transtorno de identidade de gênero na infância, outros transtornos de identidade de gênero, travestismo fetichista e orientação sexual egodistônica” no capítulo de problemas de saúde mental na cobertura de seguros do país.

Com isso, a transexualidade é agora incluída na lista de condições que devem ser abordadas nos tratamentos oferecidos pelos planos de saúde. Ao anunciar essa medida, o governo do país afirmou que ela facilitará o acesso de pessoas transexuais a tratamento psicológico gratuito.

Segundo O Antagonista, o termo “incongruência de gênero” foi utilizado para se referir às pessoas transexuais como uma forma de limitá-las à uma única questão de saúde mental. Segundo o Gazeta Brasil, as leis peruanas demandam que patologias incluídas na lista dos planos de saúde sejam reconhecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). No entanto, em 2019, a organização internacional optou por remover a classificação da transexualidade como um transtorno mental. 

O novo decreto provocou revolta entre diversos grupos progressistas do país, incluindo o coletivo Mais Igualdade Peru, que iniciou uma campanha de coleta de assinaturas para enviar uma carta ao Ministro da Saúde, César Vásquez. A deputada e ativista pelos direitos LGBTQIA+ Susel Paredes anunciou na terça-feira (14 de maio), em uma postagem no X (ex-Twitter), que a instituição Más Igualdad Perú enviou uma carta ao Ministério da Saúde peruano exigindo a reversão da medida. O documento foi elaborado com o apoio de 414 profissionais de saúde mental e 176 organizações de direitos humanos.


Sequência de Priscilla, a Rainha do Deserto vem com elenco original – e até ônibus


O trio original deve retornar com um roteiro que está sendo elaborado há cinco anos

Por Dale Fox patra o site Attitude 

A sequência das Aventuras de Priscilla, a Rainha do Deserto está em andamento, completa,  com o elenco original, confirmou o diretor do primeiro filme.

Stephan Elliott retornará para dirigir o filme com as estrelas Terence Stamp, Guy Pearce e Hugo Weaving 30 anos após o lançamento do original, foi informado ao Guardian Australia.

Os três atores voltam para estrelar o filme, que está com negociações ainda em andamento para encontrar financiamento para ser filmado. Até o próprio ônibus 'lavanda' Priscilla estará de volta, diz Elliot.

Em conversa com o Guardian Australia, Elliott disse que uma sequência de Priscilla demoraria muito para chegar. Ele acrescentou que o roteiro levou cinco anos para ser escrito.

“As pessoas gritam para que eu faça isso há 30 anos. E de repente, percebi que estamos todos envelhecendo. Estamos perdendo pessoas”, disse ele.

“Alguém me disse: 'Este é o momento certo para fazer este filme?' Eu disse: 'É o momento perfeito para fazer este filme'”.


O filme de 1994 Priscilla, a Rainha do Deserto mostra Tick/Mitzi (Weaving), Felicia/Adam (Pearce) e Bernadette (Stamp) viajando de Sydney para Alice Springs em um ônibus para chegar à data do show, deixando um rastro de brilho e fabulosidade em seu caminho.

No entanto, Elliot diz sobre a sequência: “Não vou fazer apenas peitos e penas”.

“As pessoas pensam no filme original como um monte de figurinos, música e muita diversão, mas também é uma adaga no coração”, explicou ele, acrescentando que parte da história será ambientada fora da Austrália.

“Você tem que lembrar que Tick teve um filho. Agora, aquele garoto cresceu e tem sua própria família”, disse Elliot. “Temos nossos três princípios, mas temos que construir no novo mundo.”



Desde o seu lançamento, há 30 anos, Priscilla, Rainha do Deserto, tornou-se um clássico cult. Já foi feito um musical, adaptado para o teatro e aqui no Brasil já teve duas montagens, aliás a segunda estreia em junho, dia 07, no Teatro Bradesco, em São Paulo, tendo Reynaldo Gianecchini e  Diego Martins como protagonistas.

segunda-feira, 13 de maio de 2024

Teatro Estreia - Carmo Dalla Vecchia em 'Todo Chapéu me Lembra Você'

Em Neon: segunda-feira, 13 de maio de 2024


Uma história envolvente e misteriosa sobre o amor através do tempo

Texto e direção: Vitor Rocha

Com Carmo Dalla Vecchia e Theo Nogueira

Realizado através de Emenda Parlamentar pela Associação dos Artistas Amigos da Praça e produzido pela Viva Cultural, o projeto surgiu a partir da idealização de Theo Nogueira, um dos atores do elenco, juntamente com os produtores Leandro Luna e Priscilla Squeff.

Na busca por um espetáculo original e inédito, convidaram o autor e diretor Vitor Rocha, um dos principais nomes de sua geração, e o ator Carmo Dalla Vecchia, veterano com forte representatividade na comunidade LGBTQIAP+, um dos temas abordados na história.

Para Vitor, “Esse convite do Leandro Luna e da Priscilla Squeff para fazer parte do projeto foi uma grande inspiração. Este será meu primeiro texto encenado de prosa, afinal os últimos foram originais. Estou com grandes expectativas na reação do público. Todo chapéu me lembra você fala de lembranças e amor”.

“Estou muito feliz por ter a certeza de poder contar uma linda história com uma temática tão relevante e sensível e trabalhar com uma equipe dos sonhos. A peça mostra os muitos ‘armários’ que ainda devem ser abertos nas ‘ilhas’ criadas na consciência de cada um de nos”, diz Theo Nogueira.

Para Carmo Della Vecchia, “Todo Chapéu Me Lembra Você” é um espetáculo que me aproxima de mim e de tantos iguais a mim. E que lindo ter a oportunidade ao lado de pessoas tão especiais de colaborar com a inclusão com um personagem tão raro na dramaturgia. Trabalhar com o Vitor, que é um autor e diretor que eu já admirava é maravilhoso e isso aliado a uma equipe de produção dos sonhos, faz com que seja um processo especial demais”.

A peça estreia no Teatro Décio Almeida Prado, no CCD - Centro Cultural da Diversidade, em São Paulo, no dia 17 de maio e faz uma CURTA TEMPORADA às sextas e sábados, 20h, e domingos 19h, até 16 de junho, com ingressos gratuitos.

Serão realizadas 12 apresentações inteiramente gratuitas à população, acompanhado de quatro ciclos de debates com convidados especiais, inseridos nas políticas e temáticas LGBTQIAP+, sempre aos domingos após a apresentação, sessões com acessibilidade em libras e uma Oficina de Produção Cultural a ser realizada na Escola SP de Teatro a partir de 16 de maio.

O espetáculo, original e inédito, aborda temas como diversidade, relacionamentos interpessoais, amor e superação, a partir de uma visão intimista que coloca o público em direta identificação com a história vivida pelas personagens, repleta de desencontros e mistério, e que apesar de suas inúmeras diferenças, estão unidas pelo mais importante: a empatia.

Sinopse

Thomaz, é um jovem rapaz de trinta e poucos anos que vive longe da vila onde nasceu buscando seus objetivos e sonhos, mesmo sem saber exatamente quais são eles. Mas seus planos são atravessados pela notícia de que o seu avô por parte de pai, o chapeleiro Domingos, com quem teve uma relação complicada no passado, está com um grave problema de saúde. Thomaz é obrigado a retornar à antiga vila para ajudá-lo e, além dos fantasmas de seu relacionamento com o avô, acaba se deparando com Otto, um homem de meia-idade que há muitos anos precisou se esconder do mundo na chapelaria de Domingos, e que tem muito mais em comum com o jovem do que eles dois podem imaginar. 

Serviço

TODO CHAPÉU ME LEMBRA VOCÊ (75 minutos)

TEATRO DÉCIO DE ALMEIDA PRADO

CCD – Centro Cultural da Diversidade

R. Lopes Neto, 206 - Itaim Bibi, São Paulo – SP

Bilheteria: Horários de Funcionamento – abertura 1h antes do evento.

TEMPORADA: 17 DE MAIO ATÉ 16 DE JUNHO

Sextas e sábados às 20h, e domingos às 19h.

Bate-papos com convidados especiais, aos domingos, após a apresentação:

Renan Quinalha, dia 19/5 – Erika Hilton, dia 26/5* (Sessão em Libras)
Prof. Odir Fontoura, dia 9/6 – Dr. Saulo Ciasca, dia 16/6* (Sessão em Libras)

INGRESSOS GRATUITOS

Classificação: 12 anos

(NÃO HAVERÁ SESSÕES NOS DIAS 31 DE MAIO E 1 E 2 DE JUNHO)

Ficha Técnica

Texto e Direção: Vitor Rocha.
Elenco: Carmo Dalla Vecchia (Otto) e Theo Nogueira (Thomaz).
Assistente de Direção: Leandro Luna.
Assistente de Produção: Letícia Helena.
Operador de Luz e Som: Cleber Eli.
Contrarregra, Camarim e Maquiagem: Renato Valentte.
Preparadora de Elenco: Letícia Helena.
Foto: Caio Gallucci.
Concepção de Cenário e Figurinos: Kleber Montanheiro.
Assessoria Jurídica: Associação dos Artistas Amigos da Praça (Adaap)
Assessoria de Imprensa: Beth Gallo e Thais Peres
Apoio: Canal Teatro MF
Produtores: Leandro Luna e Priscilla Squeff.
Produção: VIVA Cultural.
Realização: Associação dos Artistas Amigos da Praça (Adaap) e VIVA Cultural

 

Marina Lima celebra sua carreira em show único na Casa Natura Musical com participação de Filipe Catto

Foto: Candé Salles

No dia 17 de maio, sexta-feira, às 22h, o palco da Casa Natura Musical recebe Nas Ondas de Marina. Neste show, Marina Lima sintoniza com todas as suas ondas em mais de 40 anos de carreira e convida Filipe Catto para uma participação superespecial.

Por meio de seu rico repertório, Marina agradece às gerações que a acompanham desde o início, com hits clássicos como “Fullgás”, “Uma Noite e Meia” e “À Francesa”, e acolhe aquelas que passaram a segui-la mais recentemente, com canções do novo EP Motim. Diversa, navega por vários estilos de sua música, que vão desde baladas românticas, como “Acontecimentos” e “Pessoa”, até canções libertárias, como “Pra Começar” e “Mãe Gentil”.

O novo show dá continuidade à celebração de toda a sua obra como cantora, compositora e arranjadora. Para arrematar essa retomada de fôlego, Marina é acompanhada pela banda, formada por Gustavo Corsi (guitarra), Alex Fonseca (bateria e programação) e Carlos Trilha (teclados e programação).

Carioca, virginiana e com alma do mundo, Marina Lima é uma mulher à frente de seu tempo. Do pop ao rock, eletrônico à sofrência, clássicos como “Pra Começar”, “À Francesa”, “Fullgás”, “Virgem”, “Uma Noite e Meia”, “Pessoa”, foram músicas que estiveram presentes no repertório que percorreu seus 21 discos lançados e embalaram a trilha sonora de brasileiros de várias gerações.

Foto: Andréa Rêgo Barros

Filipe Catto (ela/dela) é cantora, compositora, instrumentista, produtora musical, designer e diretora audiovisual. Ao longo de seus 15 anos de carreira, a gaúcha radicada em São Paulo lançou sete registros em estúdio, entre álbuns, EPs e discos ao vivo, além de colaborações com outros artistas. É considerada uma das maiores vozes da música brasileira contemporânea e já cantou com ícones Ana Carolina, Elza Soares, Maria Bethânia, Marina Lima, Ney Matogrosso e Zélia Duncan. Em seu trabalho mais recente, Belezas são Coisas Acesas por Dentro, Catto reinventa canções do repertório de Gal Costa com personalidade e vulnerabilidade, traduzindo suas vivências enquanto pessoa trans não binária.

Casa Natura Musical

Inaugurada em maio de 2017, a Casa Natura Musical é um equipamento cultural que fomenta experiências, encontros, conexão afetiva, sensorial e coletiva por meio da música. Palco de diferentes ritmos, movimentos e artistas de todo Brasil, a Casa promove através de shows, eventos, mostras de arte digital e conteúdos dos seus canais de comunicação aproximação da comunidade ao processo criativo da cultura brasileira. O espaço, inclusivo e sustentável, fica localizado no bairro de Pinheiros em São Paulo, mas expande suas vivências e incentiva novos territórios musicais descentralizados em seus canais digitais pelo Brasil e pelo mundo.

Sobre Natura Musical

Natura Musical é a plataforma cultural da marca Natura que há 18 anos valoriza a música como um veículo de bem estar e conexão. Desde seu lançamento, em 2005, o programa investiu mais de R$ 190 milhões no patrocínio de mais de 600 artistas e projetos em todo o Brasil, promovendo experiências musicais que projetam a pluralidade da nossa cultura. Em parcerias com festivais e com a Casa Natura Musical, fomentamos encontros que transformam o mundo. 

Serviço

Marina Lima convida Filipe Catto | Nas Ondas De Marina

Dia 17 de maio, sexta-feira, 22h | Abertura da Casa: 20h30

Ingressos à venda pelo site da Sympla

Valores: de R$30 a R$180

Classificação indicativa: 16 anos 

Duração: 90 minutos

CASA NATURA MUSICAL

Rua Artur de Azevedo, 2134, Pinheiros, São Paulo

www.casanaturamusical.com.br

 
Todos os direitos reservados para © 2014 Em Neon - Site
Desenvolvido por Code Art Design by Maurício Code