NOVIDADES

COMPORTAMENTO

sexo

Vídeos

Arquivo Em Neon

Entretenimento

Mundo LGBTI

.

Divertidíssima

GALERIAS

quarta-feira, 25 de abril de 2018

Xtravaganza: Estudante de Direito cria linha de produtos com foco no público LGBTIQ+

Em Neon: quarta-feira, 25 de abril de 2018

Com apenas 23 anos, Bárbara Nilma acaba de lançar a loja online Pride. Além de vender roupas e objetos de decoração, a jovem pretende fomentar a difusão de produtos alegres, irreverentes e criativos promovendo, assim, os valores da cultura LGBTIQ+

Pride em inglês é orgulho. É esse o sentimento que a microempresária, Bárbara Nilma, estudante de Direito e formada em teatro, sente ao falar da sua orientação sexual lésbica e também do seu recém lançado empreendimento, o e-commerce: www.pridestore.com.br.

O site, que entrou no ar em abril, tem como principal produto as camisetas com estampas relacionadas ao universo LGBTIQ+ (lésbicas, gays, bissexuais, travestis/transexuais, intersexuais, queer e demais possibilidades de gênero). No último dia 14, a marca apoiou a festa Miniball Pão de Queijo. No evento, alguns artistas e nomes importantes da militância do cenário regional e nacional vestiram as blusas Pride.

A história da marca começa quando Bárbara resolve produzir uma camiseta colorida para o carnaval. A peça fez bastante sucesso entre os amigos e conhecidos. A partir daí, um universo formado por imagens de unicórnios, flamingos, frases de impacto contendo afirmação de identidades sexuais e de gênero começaram a se configurar como uma possibilidade de negócio para a estudante. “Dessa forma criei a Pride, uma loja online, totalmente direcionada para uma galera que vem ganhando espaço na sociedade e está a cada dia mais confortável de ser quem realmente é, apesar de ainda existir muito preconceito”, afirma. O público-alvo é composto por adolescentes e jovens de 16 a 30 anos.

De acordo com Bárbara, as peças são criadas para atenderem a todos os gêneros. “Não crio uma estampa pensando em homem ou mulher, crio para qualquer pessoa usar. Para isso, estou utilizando a modelagem masculina que abarca melhor todos os tipos de corpos. Futuramente, eu quero trabalhar com modelagem própria, esse será um próximo e importante passo”, sintetiza.

Atualmente, a marca oferta 10 produtos: sendo 4 da linha “Vogue”. São camisetas inspiradas na dança de rua que tem o mesmo nome da coleção. As estampas trazem expressões recorrentes no ambiente de quem dança ou conhece a modalidade, como a frase: Strike a Pose. “Isso também é reflexo da minha formação em danças urbanas.”, explica. Bárbara é integrante do grupo de dança NAME TAG.

A entrega dos produtos é feita por PAC em oito dias, Sedex em 3 dias ou motoboy em 4 dias (Para Belo Horizonte). O pagamento é feito por Paypal, Mercado Pago ou boleto bancário. Os preços são competitivos e variam de 39,90 até 100. A Pride Store está também no instagram (@_pridestore).

Universo LGBTIQ+
A marca reflete também uma trajetória pessoal da empresária. “Não foi de um dia para o outro que entendi a minha orientação sexual, mas posso afirmar que foi um processo bonito", diz.  A aceitação familiar foi ponto fundamental para o crescimento pessoal e amadurecimento necessários para lançar a Pride. “ Por exemplo, a minha mãe é minha maior apoiadora e divulgadora”, ressalta Bárbara.

CURTA O EM NEON NO FACEBOOK

Pride
A Pride (www.pridestore.com.br) é um e-commerce brasileiro com foco em produção de moda com temática LGBTIQ+. É uma iniciativa da jovem empresária mineira e também diretora administrativa e criativa da marca, Bárbara Nilma.O site entrou no ar em abril de 2018 e oferta camisetas, camisas, moletons e objetos de decoração. O objetivo é promover a expansão e divulgação da cultura LGBTIQ+ por meio da moda e do design em diferentes formas. A empresa atende a pedidos em todo território nacional e oferta preços competitivos para o mercado.

Fotos: Leandro Amorim

quinta-feira, 19 de abril de 2018

Erasure: Duo Britânico vem ao Brasil com a ‘World Be Gone Tour’

Em Neon: quinta-feira, 19 de abril de 2018

Foto: Doron Gild
Turnê terá três shows nas cidades de Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro

Reconhecido como um dos maiores artistas britânicos da atualidade e destaque da música eletrônica há três décadas, o duo Erasure – formado pelo vocalista Andy Bell e pelo tecladista e guitarrista Vince Clarke – vem ao Brasil com a World Be Gone Tour.

Os shows da turnê brasileira acontecem em Curitiba, no Teatro Positivo, no dia 10 de maio; em São Paulo, no Espaço das Américas, no dia 11 de maio; e no Rio de Janeiro, no Vivo Rio, no dia 12 de maio.

A World Be Gone Tour comemora o álbum homônimo da dupla britânica, dono de sucessos como “Love You to the Sky”, “World Be Gone” e “Just a Little Love”. Desde seu lançamento, no ano passado, o álbum alcançou o top 10 de vendas do Reino Unido e angariou elogios da imprensa local.

“O triunfo da música pop de protesto bonita de doer” – MOJO
"... a majestade da música eletrônica, sem qualquer esforço" – Electronic Sound
“Indiscutivelmente, um dos seus melhores trabalhos” Louder Than War

As apresentações no Brasil fazem parte do Concerts Series Live Music Rocks, promovido pela MOVE Concerts. A turnê Brasileira é apresentada pelo Banco do Brasil. Ourocard é o meio de pagamento oficial e Cielo a plataforma de pagamento oficial.

A plataforma Live Music Rocks levará a assinatura do Banco do Brasil, que oferecerá benefícios exclusivos para os clientes Ourocard. Entre os benefícios estão a pré-venda exclusiva, 50% de desconto na compra de ingressos via cartão de credito, condições de parcelamento e a possibilidade de troca de pontos Livelo por ingressos com valores reduzidos, sujeito a disponibilidade.

Sobre o Erasure
Formada em 1985 pelo tecladista e guitarrista Vince Clarke e pelo vocalista Andy Bell, o Erasure se firmou como um dos grandes nomes do pop eletrônico. A dupla já venceu diversos prêmios importantes da música britânica como o BRIT Awards e o Ivor Novello Awards. Com dezessete álbuns de estúdio lançados ao longo da carreira, o Erasure já emplacou uma série de hits de sucesso em seu país, somando 5 singles no #1, 17 no top 10 e um total de 35 no UK Top 40. Seus dois últimos álbuns, World Be Gone (2017) e a coletânea Always (2015), alcançaram o top 10 de vendas no Reino Unido. 

Seu trabalho mais recente traz composições mais reflexivas, levando às recentes perturbações da política mundial uma análise mais profunda e um olhar para o futuro. 

Logo após seu lançamento, World Be Gone atingiu a 6ª posição mais alta do Reino Unido, se tornando o álbum mais bem sucedido do Erasure desde I Say, I Say, I Say, em 1994.

Recentemente, o Erasure foi convidado especial de Robbie Williams para sua turnê europeia em estádios.
Data: 10 de maio
Cidade: Curitiba
Local: Teatro Positivo (R. Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 - Campo
Comprido)
Link para a compra: www.diskingressos.com.br

Data: 11 de maio
Cidade: São Paulo
Local: Espaço das Américas (R. Tagipuru, 795 - Barra Funda)
Link para a compra: www.livepass.com.br

Data: 12 de maio
Cidade: Rio de Janeiro
Local: Vivo Rio (Av. Infante Dom Henrique, 85 - Flamengo)
Link para a compra: www.livepass.com.br

Projeto Cais lança sua décima websérie: 'A Casa Sonho'

Totalmente independente, canal do projeto conta com mais de 30 milhões de visualizações 

O Projeto Cais estreou sua nova websérie, intitulada “A Casa Sonho”, no seu canal (https://www.youtube.com/user/apenasherois/videos) em 2 de abril. Temas como a cura gay, adoção, poliamor, diversidade religiosa, racismo, entre outros assuntos, vão movimentar a vida de personagens que moram na mesma residência a partir da amizade entre um deficiente físico, Daniel (Pedro Quevedo), e Ana Clara (Ana Cordeiro), uma menina com transtorno bipolar. Eles se conhecem em uma clínica durante o tratamento que estão fazendo de “cura gay” e resolvem fugir juntos do local para viverem na "Casa Sonho".

- "A casa da história é de propriedade da travesti Elba (Johnny Wallace) que aluga quartos exclusivamente para gays e propicia um ambiente de convivência comum no local, que os aproxima e os torna uma família à medida que as histórias deles vão se cruzando e se aprofundando". - diz Daniel Sena, um dos idealizadores do Cais.

A nova produção vai realizar uma campanha social de incentivo a doação de órgãos que envolverá um dos personagens principais da trama e que vai ser levada para o público participar fora da ficção.

Com o nascimento do projeto, veio a demanda por uma trilha sonora que demonstrasse o que cada história queria passar. Pedro Quevedo, que também é cantor e faz parte do Cais desde o início, é o responsável por dar vida em forma de letra e melodia aos dramas vividos pelos personagens das produções.

Em “A Casa Sonho”, duas canções do seu repertório já fazem parte da história: “No Fim”, retirada do recém-lançado CD “Colorir Você”, e a inédita “Eu Vejo Arco-Íris”.

Cada episódio terá média de 45 minutos e foram gravados durante o mês de março na cidade do Rio de Janeiro e com cenas em Búzios.

No canal já há cinco episódios no ar.

CURTA O EM NEON NO FACEBOOK

Sobre o Projeto Cais
O Projeto Cais é um canal de Produção de webséries inteiramente composto, em seu conteúdo, por produções independentes com o objetivo de fomento cultural.

O projeto, que completa cinco anos em 2018, já produziu nove webséries, a primeira foi Positivos (2013). Esta teve temática focada no preconceito sofrido por portadores do vírus HIV e suas dificuldades no dia a dia, relacionamentos, família e amigos. Positivos teve um grande alcance logo na estreia e hoje já contabilizada mais de 3 milhões de acessos em seu primeiro episódio. Já o canal, impulsionado pela regularidade de exibir pelo menos duas produções por ano e com temas variados e de interesse da comunidade ultrapassou a marca de 115 mil inscritos e mais de 30 milhões de visualizações.

- Visamos produzir conteúdo com a temática LGBT para mostrar a realidade de muitas pessoas que não aparecem no horário nobre da televisão convencional. É formar oportunidades para artistas e atores locais com projeção nacional e suprir a demanda de nosso público que está sempre sedento por conteúdo novo – diz Daniel Sena.

As séries nascem da idealização e do roteiro de Daniel Sena que também cuida da edição e imagens e tem sua preparação  de elenco e direção feita por Pedro Quevedo. A equipe de colaboração é formada de acordo com a necessidade de cada enredo e com profissionais locais. Em "A Casa Sonho", Henrique Galmacci, Enrique Henriquez e Jean Carlos Monteiro cuidam da produção.

Grupo Haridady lança novo álbum e divulga lyric vídeo da música 'Sábado à Noite'

O grupo Haridady, acaba de lançar seu novo álbum chamado “Pra Gente Eternizar”. O lançamento além de muito aguardado trás também o reconhecimento pelo excelente trabalho, que contém 14 faixas de samba da melhor qualidade, com composições impecáveis e direção do produtor musical Pezinho.

O último trabalho do grupo foi em 2017 com o lançamento do vídeo clipe da música “Vai me Procurar” que também faz parte do novo álbum, porém era uma prévia do que estava por vir.

A faixa inédita “Sábado à Noite” é uma composição do vocalista Rafa Davii, e já está disponível nas plataformas digitais para download.

CURTA O EM NEON NO FACEBOOK

Com a grande aprovação do público o grupo também lançou o lyric vídeo da música de trabalho... Sim isso mesmo! Sábado à Noite ganhou uma versão em lyric vídeo para o público curtir a letra e conhecer um pouco mais do grupo.

O Grupo Haridady é formado por Rafa Davii (vocalista), Luizinho (Vocal e Pandeiro), Léo Rojas (Percussão) e Pety (Cavaco).

Lyric Video “Sábado à Noite”


Crédito da Foto: Angelo Pastorello / RL Assessoria

quarta-feira, 18 de abril de 2018

'Certos Rapazes' em curta temporada no Teatro Augusta

Em Neon: quarta-feira, 18 de abril de 2018

Com tema da atualidade, texto de Júnior de Sousa e Luís Villefort  reflete relação homoafetiva 

Fotos: Daniel Lima

Como manter uma relação homoafetiva em meio às dúvidas, interferências da família, questionamentos da sociedade e inseguranças? As respostas para essas e outras indagações poderão ser refletidas no espetáculo, “Certos Rapazes – O Nosso Amor a Gente Inventa”, que estreou no dia 4 de abril, no Teatro Augusta – Sala Paulo Goulart. Em curta temporada (oito apresentações), o texto assinado por Júnior de Sousa e Luís Villefort destaca no elenco os jovens Hugo Caramello e Rafael Braga.

Sucesso na temporada de Belo Horizonte, a montagem propõe uma reflexão sobre a busca da felicidade sem regras e tabus. De forma sensível e sem estereótipos, retrata o encontro amoroso casual entre dois homens e suas problemáticas.

No enredo, Guilherme (Hugo Caramello atesta que ser gay é algo libertador. Já para Pedro Henrique (Rafael Braga), a situação é bem diferente. Criado em uma família que nunca lhe deu oportunidade para o diálogo, não passa pela sua cabeça assumir sua homossexualidade. Escondido atrás de uma foto de Luís de Camões, Pedro Henrique chama a atenção de Guilherme num aplicativo de relacionamentos. Os sentimentos dos rapazes vão se encaixando de maneira tão harmônica e feliz que passam a morar juntos, porém, Pedro Henrique guarda um segredo que vai colocar em xeque todo amor e confiança que Guilherme passa a ter por ele.

“Certos Rapazes” fez estreia em maio de 2017, em Belo Horizonte. Recentemente, cumpriu dois meses de temporada na 44ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança de Minas Gerais. A peça teve três indicações para o Prêmio Cenym, da Academia de Artes no Teatro do Brasil: Melhor Texto Original, Melhor Qualidade Artística e Melhor Trilha Adaptada. Foi eleito como melhor espetáculo LGBT de Belo Horizonte em 2017, por meio de votação popular, promovida pelo site Guia Gay BH.

CURTA O EM NEON NO FACEBOOK

Ficha técnica
Autores: Júnior de Sousa e Luís Villefort
Direção: Maurício Canguçu
Elenco: Hugo Caramello e Rafael Braga
Atriz em vídeo: Nilmara Gomes
Preparação de atores: Diorcélio Antônio
Cenografia: Marcelo Ricco
Figurinos: Tomás Ceia
Iluminação: Thiago Felipe
Seleção musical: Júnior de Sousa e Maurício Canguçu
Assistente de Produção: Jai Baptista
Produção executiva: Daniel Lima
Direção Geral: Rolider Carlyle

Serviço
"Certos rapazes - o nosso amor à gente inventa"
Teatro Augusta – Rua Augusta 943, Cerqueira César. Informações: 11 3231-2042.
Temporada: 4 a 26 de abril – quartas e quintas-feiras, às 21h.
R$ 70,00 (Inteira) e R$ 35,00 (Meia-entrada).
Ingresso antecipado com 50% de desconto: www.sampaonline.com.br
Classificação: 16 anos
Redes sociais: Facebook.com/certosrapazes e Instagram.com/certosrapazes

Prevenção da Aids é tema do Projeto Boa Sorte, que chega a São Paulo com Ocupação no Teatro Aliança Francesa

Com patrocínio do Instituto Caixa Seguradora, projeto leva informação sobre a vida dos portadores do vírus causador da AIDS por meio de apresentação de teatro, palestras, oficinas e bate-papos

O espetáculo “Boa Sorte - O Musical” já passou por Belo Horizonte, Brasília e Porto Alegre e em maio segue em itinerância pelo interior de São Paulo e Curitiba.

Entre os dias 19 e 29 de abril, o Projeto Boa Sorte desembarca em São Paulo, no Teatro Aliança Francesa, com o intuito de levar informação, cultura e arte para jovens e adultos sobre o universo das pessoas que vivem com HIV. O projeto propõe uma verdadeira Ocupação no Teatro com espetáculo, palestras, jogo de tabuleiro interativo, rodas de conversa e sessões de cinema com bate-papo ao final.

A necessidade de conscientização dos jovens sobre o assunto se mostra urgente de acordo com pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde em 2017, que revelou um aumento de infecção entre jovens de 19 a 29 anos, e principalmente entre os mais novos, de 15 a 19 anos, cujo aumento somou 187% no período de 2006 a 2015. Já entre jovens de 20 a 24 anos, a taxa dobrou (de 15,9 para 33,1 casos por 100 mil habitantes).

Assim, no dia 19 de abril, quinta-feira, o projeto inicia às 15h com apresentação do espetáculo Boa Sorte – O Musical, escrito pelo ator e youtuber Gabriel Estrela, que conta como foi receber a notícia, aos 18 anos, de que era portador do vírus, e como foi a reação da família e amigos, além de descrever a rotina de sua nova condição médica, sempre acompanhado de música ao vivo.

No dia seguinte, 20 de abril, sexta-feira, acontecem duas sessões do espetáculo, às 15h e às 20h30. Após a última sessão, é realizado um bate-papo do público com Rico Vasconcelos, infectologista formado pela USP e coordenador do Estudo PrEP (Profilaxia Pré-Exposição) no Brasil. A partir do dia 21 de abril, sábado, 18h, o público pode participar do Prevenidas Game, um jogo de tabuleiro humano e interativo sobre conhecimento em prevenção ao HIV, Hepatites Virais e outras IST (Infecções Sexualmente Transmissíveis). Já às 20h30, acontece nova apresentação do espetáculo Boa Sorte – O Musical, seguida de bate-papo com Daniel Bovolento, publicitário, fundador do blog Entre todas as coisas, influenciador, youtuber e autor de diversos livros sobre comportamento, relacionamentos e sexualidade.

Já no dia 22 de abril, domingo, às 17h, a programação fica por conta da exibição de 120 Batimentos por Minuto, filme francês dirigido por Robin Campillo, que segue a trajetória do grupo Act Up no começo dos anos 1990 para pressionar o governo e as companhias farmacêuticas a tratar a Aids com mais seriedade e transparência. A trama acompanha de perto os personagens do grupo e seus relacionamentos, com um ritmo urgente ao mostrar o convívio entre eles e sua relação com a vida. Logo após a exibição, acontece uma roda de conversa com Roseli Tardelli, jornalista que comandou os programas Roda Viva, Opinião Nacional, Jornal Eldorado, entre outros. Após a morte do irmão, Sérgio Tardelli, em consequência da Aids, ela passou a se dedicar a ações de comunicação e cultura ligadas ao tema. Criou, há 15 anos, a Agência de Notícias da Aids, e também a Agência Sida, na África. Lançou dois documentários e o livro “O valor da vida – 10 anos da Agência Aids”, além do projeto “Lá em casa”, local de reabilitação e convivência para pessoas vivendo com HIV/ Aids.

As apresentações do espetáculo Boa Sorte – O Musical seguem no dia 26 de abril, quinta-feira, às 10h e às 15h, seguidas de bate-papo com Silvia Almeida, que se tornou ativista após contrair HIV de um sólido casamento. Seu marido faleceu dois anos depois do diagnóstico e Silvia milita para desmistificar a ideia de que as pessoas que estão casadas estão ‘protegidas’ de contrair HIV. O Prevenidas Game pode ser jogado novamente no dia 27 de abril, sexta-feira, a partir das 14h. No mesmo dia, a partir de 20h30, o público pode conferir o espetáculo Boa Sorte – O Musical, seguido de bate-papo com o Grupo Gapa (Grupo de Apoio à Prevenção da Aids), que comemora 30 anos de existência em 2018.

No sábado, dia 28 de abril, às 20h30, acontece nova apresentação do espetáculo, seguida de bate-papo com o youtuber Guilherme Terreri, também performer por trás da drag queen Rita Von Hunty, apresentadora que mantém o programa Drag Me As a Queen, do Canal E!. Para finalizar a programação, no domingo, dia 29, às 17h, acontece a exibição de Favela Gay, documentário dirigido por Rodrigo Felha sobre a vida da comunidade LGBT nas favelas do Rio de Janeiro. O filme mostra questões comuns a esse universo, como homofobia, preconceito, aceitação da família, trabalho e dia a dia na comunidade. Apesar das adversidades, cada personagem conta como reinventou a sua história por meio da música, dança, política ou do estudo. Logo após a exibição, acontece bate-papo com Marcos Moura, antropólogo e pesquisador que atua há mais de 10 anos em pesquisas e projetos relacionados a Direitos Humanos, Segurança Pública e LGBTfobia. Está por trás da pesquisa do filme Favela Gay.

Boa Sorte – O Musical
Com um repertório de canções da MPB, Boa Sorte - O Musical traz o relato autobiográfico do jovem que recebe a notícia de que é portador do vírus da Aids. Em cena, o rapaz repensa seus relacionamentos com amigos, família, namorado e médicos depois do diagnóstico, sempre acompanhado de música ao vivo. “Descobri-me vivendo com HIV muito jovem e se na época eu tivesse a referência de outras pessoas soropositivas vivendo bem e dispostas a conversar abertamente, tudo teria sido menos complicado”, recorda o autor e diretor da peça, Gabriel Estrela, hoje aos 26 anos.

Sob a direção de Estrela, o musical conta com o jovem elenco formado por Lola Portela, Mariana Sancar, Gabriel Neves, Mauro Silva e Thiago Catellani, além de banda formada por Bianca Paysan (violão), Fernando Bastos (piano e direção musical) e Marília Nóbrega (violoncelo).

Para o diretor do Instituto Caixa Seguradora, Grègoire Saint Gal de Pons, a qualidade artística do espetáculo é um bom caminho para trazer à tona a discussão sobre o comportamento e a saúde sexual dos jovens. “Patrocinar o espetáculo fortalece o Instituto e os nossos programas de juventude, pois discute o HIV e Aids sob a perspectiva da vida. É essa a realidade que tentamos levar aos jovens por meio dos nossos patrocínios, pesquisas e projetos”, afirma Grègoire.


Sobre Gabriel Estrela
O ator e diretor de teatro goiano Gabriel Estrela iniciou sua carreira como ator em Brasília, tendo atuado em musicais para o público adulto e infantil. Colaborou com a websérie “Eu só quero amar”, da Rede Globo, sobre casais sorodiferentes, numa mistura de documentário e ficção, para aproximar ainda mais o público jovem do tema. A experiência, de misturar entretenimento com informação o levou a Nova York para participar de uma Reunião de Alto Nível sobre o fim da epidemia da Aids na Sede da ONU (Organização das Nações Unidas). Em 2013, Gabriel criou e dirigiu a primeira versão do espetáculo, que foi reencenado em 2015 marcando o início do Projeto Boa Sorte. No mesmo ano, criou o canal de mesmo nome no Youtube, que rendeu dois vídeos com a youtuber Jout Jour Prazer falando sobre preconceito, cotidiano e saúde, atingindo mais de 800 mil visualizações. Em 2017, o canal ganhou o Prêmio YouPix Creators Pitch.

Prevenidas Game – ONG Koinonia
É um jogo de tabuleiro humano sobre conhecimento em prevenção ao HIV, Hepatites Virais e outras IST (Infecções Sexualmente Transmissíveis). A proposta é proporcionar a interação, o compartilhamento de vivências e aprendizado. O jogo é desenvolvido com o tabuleiro no chão, numa lona de 4m x 4m, e os participantes são os peões. Podem participar quatro jogadores, que devem percorrer as casas do tabuleiro de acordo com os números tirados no dado ou de acordo com as respostas dadas. Cada casa representa um tipo de carta, e os jogadores devem responder às questões apresentadas ou realizar a ação apresentada nas cartas. O jogo é composto por cinco tipos de cartas: “Sorte ou Azar”, “Pergunta de Situação”, “Perguntas Técnicas”, “Prenda!” e “Caiu na casa do adversário?”. O jogador ou jogadora que der uma volta completa no tabuleiro avança para o centro e chega à casa final, vencendo o jogo. Perguntas como “É possível pegar Aids por meio de beijo, abraço, compartilhamento de copos?”, ou “O que é o período de Janela Imunológica?”, ou ainda “A Aids tem cura?”, são alguns dos questionamentos do jogo.

CURTA O EM NEON NO FACEBOOK

Ficha técnica 
Espetáculo Boa Sorte – O Musical
Texto e direção: Gabriel Estrela
Direção musical: Fernando Bastos
Iluminação: Ramon Lima
Cenografia e Figurinos: Breno Abreu
Com Lola Portela, Mariana Sancar, Gabriel Neves, Mauro Silva e Thiago Catellani
Banda: Bianca Paysan, Fernando Bastos e Marília Nóbrega
Fotos: Ronaldo Gutierrez
Arranjo ”Vivo”: Maria Barrilari
Programação Visual: Denise Bacelar
Operador de luz: Alexandre Zullu
Operador de som: Kleber Marques
Assessoria Jurídica: Olivieri Associados
Coordenação financeira: Cleonice Chaves
Produção de figurinos: 7 Company Studio
Produção executiva: Mcd Produções
Direção de Produção: Fernanda Signorini
Realização: Signorinimkt Produções Culturais Ltda
Idealização: Fernanda Signorini e Gabriel Estrela
Patrocínio: Instituto Caixa Seguradora

Serviço
Projeto Boa Sorte
São Paulo
De 19 a 22 e de 26 a 29 de abril

Programação
Dia 19 de abril, quinta-feira
15h - Apresentação espetáculo

Dia 20 de abril, sexta-feira
15h - Apresentação espetáculo
20h30 - Apresentação seguida de bate-papo com Gabriel Estrela e participação de Rico Vasconcelos

Dia 21 de abril, sábado
18h – Jogo Prevenidas Game – ONG Koinonia
20h30 – Apresentação seguida de bate-papo com com Gabriel Estrela e participação de Daniel Bovolento (influenciador e youtuber) na peça e no bate papo.

Dia 22 de abril, domingo
17h - Exibição do filme 120 Batimentos seguido de roda de conversa  com Gabriel Estrela e participação de Roseli Tardelli

Dia 26 de abril, quinta-feira
10h – Apresentação espetáculo seguida de bate-papo com  Gabriel Estrela e participação de Silvia Almeida
15h - Apresentação espetáculo seguida de bate-papo com Gabriel Estrela e participação de Silvia Almeida

Dia 27 de abril, sexta-feira
14h – Jogo Prevenidas Game – ONG Koinonia
20h30 – Apresentação espetáculo seguida de bate-papo  com Gabriel Estrela e participação de Grupo Gapa (comemoração de 30 anos de existência)

Dia 28 de abril, sábado
20h30 – Apresentação espetáculo seguida de bate-papo com Gabriel Estrela e participação de Guilherme Terreri (influenciador e youtuber) na peça e no bate papo

Dia 29 de abril, domingo
17h – Exibição do filme Favela Gay, seguida de bate-papo com Gabriel Estrela e participação de Marcos Moura

Ingressos das sessões do espetáculo 
Preço: R$20,00 (inteira)
R$10,00 (meia)

Demais atividades, como Prevenidas Game, bate papos, exposição, filmes, são gratuitos

Fotos adicionais: Taidson Morais

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Devido ao sucesso, foi prorrogada a temporada do 'Arquivo Terça Insana'

Em Neon: segunda-feira, 16 de abril de 2018

De 03 a 24 de Abril de 2018, terças às 21h, no Teatro Itália

O Arquivo Terça Insana reúne um elenco de atores que participaram ou foram influenciados pelo projeto "Terça Insana", seja  como elenco fixo, convidado ou que ainda não pisou em seu  palco e o farão pela primeira vez.

Uma das Atrizes que está debutando pela primeira vez nessa insanidade é Cristiane Wersom, que junto com Renata Augusto, que faz parte da Família desde 2017, estão num quadro bem inusitado, o “Nicete e Cida” que são duas velhinhas cheias de Sex appeal.

Cristiane Werson e Renata Augusto são fundadoras e fizeram parte do elenco do projeto “As Olívias” que foi um dos embriões da "Terça Insana", como elas mesmas costumam dizer.

Fernandinho Beat Box, esse já faz parte da família há muitos anos sempre com participações muito especiais, fazendo quadros solo, em dupla, trios e em diversos formatos. Nesse show fará um dueto inédito com Betina Botox , personagem clássico de Roberto Camargo, que é um dos fundadores do projeto "Terça Insana", ao lado de Grace Gianoukas.

Agnes Zuliani, traz para esse show a Icônica Personagem Carlota Joaquina que foi imortalizada no segundo DVD da Terça Insana “ Ventilador de Alegria”.

Falando em ineditismo, esta será a primeira vez que a atriz Grace Gianoukas, diretora e criadora do Projeto Terça Insana, não estará no palco, mas assina a direção e faz uma participação inusitada em vídeo. O motivo de sua ausência que, após ter vivido Teodora Abdalla, hoje ela é Petúlia personagem da novela  “Orgulho e Paixão”, de  Marcos Bernstein, no horário das 18h na Globo.

Elenco
Agnes Zuliani
Atriz, professora, dubladora, tradutora e produtora. Bacharel e Licenciada em História pela Universidade de São Paulo; Formada em Interpretação Teatral pelo Lee Strasberg Theatre Institute em Nova York; Indicada ao Prêmio Shell de melhor atriz em 1995 por sua interpretação em “Boa Noite, Mãe”. Professora de Interpretação Teatral e Contexto Histórico. Ministra também Oficinas de Comédia em São Paulo como estudiosa em Stand Up Comedy. Produziu durante três anos o Festival FLA/BRA (Florida Brasil), em Miami. Atualmente integra o elenco do projeto Terça Insana

Roberto Camargo
Nascido em 25/04/63 Formado em: Bacharelado em Artes Cênicas – Habilitação em Direção Teatral, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul em 1989. Em 1990/91estudou na École Nationale du Cirque Annie Fratellini, em Paris, França. Em1991 cursou o estagio L’Incroyable Legerete du Corps, no Studio Monika Pagneux, Paris, França.
Em 1995 cursou Imagens no Papel, Introdução ao Roteiro de Cinema e Televisão. Com Jorge Furtado, Giba Assis Brasil e Carlos Gerbase, na Casa de Cinema de Porto Alegre, RS. Em 2014 participou do Workshop de Dramaturgia, com Jô Bilac. Radicado em São Paulo desde 1996, integrou o Grupo XPTO, dirigido por Osvaldo Gabrieli, atuando nos espetáculos: ✓ O Pequeno Mago, 1996. ✓ Buster, o Enigma do Minotauro, 1998. ✓ Além do Abismo, 1999. ✓ A Tempestade, 2002.
Participou,de 2001 a 2009, como ator e autor, do espetáculo TERÇA INSANA, de Grace
Gianoukas, onde atuou como Mestre de Cerimônias e criou mais de trinta personagens. Alguns de seus personagens podem ser vistos nos dois DVDs lançados pelo grupo: Terça Insana e Ventilador de Alegria. Dirigiu o espetáculo As Filhas de Lear, do Grupo Lê Plat du Jour, em 1999. E os shows: Viva a Diferença, de Laura Finochiaro, em 2001. Disco Clubbing, de Edson Cordeiro, em 1999. Em 2005 participou da novela Como Uma Onda e do humorístico Sob Nova Direção, ambos da Rede Globo. Em 2010 participou do telefilme Segundo Movimento para Piano & Costura, direção de Marco Aurélio Del Fiol, para a TV Cultura de SP. Em 2012/13 participou como ator dos espetáculos: -Vilcabamba, de Alexandra Golik -Cabarecht,recital com canções de Brecht e Kurt Weill, com direção musical de Cida Moreira. -Homens Insanos, roteiro e direção de Grace Gianoukas. Em 2014 atuou nos filmes Que Horas Ela Volta e Mãe Só Há Uma, ambos de Anna Muylaert. Desde 2009 criou e alimenta o Blog do Roberto Camargo, no qual posta textos de ficção, humor,
memórias, opinião, viagens, dicas de livros, filmes e espetáculos.

Renata Augusto
É atriz formada pela Escola de Arte Dramática (EAD/ECA/USP), trabalhou no teatro com diretores como Antonio Januzelli, André Garolli, e Cristiane Paoli Quito.
Com a Cia. Quatro na Trilha, apresentou os espetáculos Os Saltimbancos e O Mágico de Oz.
Idealizou e apresentou o  “Projeto Experimentando Clarice”, narração dos livros infantis de Clarice Lispector.
Integrante do grupo As Olívias desde 2004, participou dos espetáculos As Olívias Palitam e Riso Nervoso.
Na tv, participou do elenco dos programas: Olívias na TV e  Fred e Lucy -  no Multishow, Copa do Caos  - na MTV e TV Cultura  e das  novelas Alto Astral e Haja Coração  - na Globo.



Cristiane Wersom
Atriz formada pela Escola de Arte Dramática da USP,  foi integrante do grupo As Olívias e co-criadora e atriz dos projetos Olívias na TV, no Multishow, Olívias+ no Programa do Justos, na Record e É tudo improviso, na Band. Como improvisadora, se apresentou em todo o Brasil com o espetáculo, Improvável, da Cia. Barbixas, além de ser convidada oficial do Noite de Improviso no Comedians.
Desde 2012 atua como dramaturga e roteirista, tendo feito diversos trabalhos para o Comedy Central, Fox, Multishow e ABC (EUA).
Em 2016 fez, como atriz, o espetáculo La Estupidez, dirigido por Otávio Martins.
No primeiro semestre de 2017 foi roteirista contratada pela Globo.
Atualmente está em cartaz com o espetáculo Mulheres Ácidas, escrito e produzido por ela e dirigido por Cristiane Paoli Quito.
Como roteirista está assinando seu segundo longa com a Globo Filmes, além do roteiro oficial de A Culpa é do Cabral, programa de humor do Comedy Central.
Tem 2 programas na web de própria autoria: O mundo maravilhosos de Cris e Mulheres Ácidas.


Fernandinho Beatbox
É um beatboxer brasileiro, conhecido por propagar este subgênero do hip hop no país. Fernandinho faz shows com Marcelo D2 e tem um projeto solo paralelo, onde é rapper. Ele começou a sua carreira em 1995 quando formou junto com Gaspar o grupo de rap Z'África Brasil, mas saiu dele quando conheceu D2 em um festival de Florianópolis. Em maio de 2010, Fernandinho lançou seu primeiro CD "Caminho Estreito" pelo selo usical LabelA, com participações de Seu Jorge, Tita Lima em parceria com Renan Saian. O selo também produziu e gravou o CD nos Estúdio Angels em São Paulo e lançou videoclipe, intitulado "Samba de Boca". Participou da abertura do Video Music Brasil 2010, programa anual de música na MTV, junto com Marcelo Adnet, Sandy, Marcelo Gross (Cachorro Grande) e o próprio Marcelo D2.


CURTA O EM NEON NO FACEBOOK


Serviço
Arquivo Terça Insana
Direção: Grace Gianoukas
Temporada: todas as terças-feiras, de 03 a 24 de Abril
de 2018, sempre às 21h.
Duração:  60 minutos
Indicação 14 anos
Ingressos: Inteira: R$ 70; meia-entrada: R$ 35
Onde comprar: Teatro Itália
Avenida Ipiranga, 344 – Edifício Itália - Metro Republica - SP
Bilheteria: (11) 3255 1979
Vendas Pela Internet: www.compreingressos.com
Venda por Telefone: 11 – 2122.2474 
Horários de Funcionamento da Bilheteria:
Segunda: Fechado
Terça À Domingo: Das 15h até o início do espetáculo. 
*No dia em que não houver espetáculo e bilheteria funciona até às 19h

Ficha Técnica
Produção: Terça Insana Produções Artísticas
Direção de Produção :Paulo Marcel
Assistente de Produção: Isadora Lourenço
Assessoria de Imprensa: Flavia Fusco Comunicação

quarta-feira, 11 de abril de 2018

Tributo à Raul Seixas com o cantor De Luca em Ipanema

Em Neon: quarta-feira, 11 de abril de 2018

O cantor De Luca apresentará o show “Tributo à Raul Seixas”, com participação especial de Armandinho Macedo, no próximo dia 11 de abril, quarta-feira, no Barzin Rio live, em Ipanema.

No repertório, De Luca, apresentará suas versões das canções de grande sucesso como “Eu Nasci Há Dez Mil Anos Atrás”; “Gita”; “Cowboy Fora da Lei”; “Metamorfose Ambulante” entre outras triunfantes.

A criação do “Tributo à Raul Seixas”, nasceu no coração do cantor De Luca pelo forte contato e influência musical que o maluco beleza teve em sua trajetória  desde a infância, e para homenagear os 50 anos de carreira de Raul que lançara seu primeiro disco em 1968. O ídolo deixou uma obra icônica e enigmática que certamente será lembrada pelas atuais e futuras gerações.

De Luca  é brasiliense e radicado no Rio de Janeiro, tem dois cds autorais “Pão e Circo” 2015 e “Sinfonia Tropical” 2017. Devoto do Rock, fez seus primeiros mergulhos musicais aos nove anos de idade, mas a partir dos 15 a coisa ficou mais séria. Em 2007, o artista montou uma banda com amigos de escola e fez mais de 10 shows em apenas 18 dias numa turnê do Rio de Janeiro até Brasília. A experiência foi fundamental para que a música virasse um ofício. Desde novo era grande fã da inventividade dos Beatles e de Jimi Hendrix. Amante da MPB, o intérprete faz dela o outro pilar de sua identidade sonora, bebendo na fonte de ícones como: Os Mutantes, Raul Seixas, Gilberto Gil e Novos Baianos, e fascinado pela magia da criação, ele reflete a respeito do processo: “É muito intenso absorver sensações e influências e depois condensar tudo em uma obra que por fim toca as pessoas. Canção, desenho, poema. É toda vez interessante e desafiador”.

Serviço
Barzin Rio Live
R. Vinícius de Moraes, 75 - Ipanema, Rio de Janeiro –
Telefone: (21) 2522-1809
De Luca : Dia. 11/04 as   21h   
Valor R$40,00 inteira / R$20,00 meia

Festival ‘Que Absurdo!’ com o Grupo Tapa fecha a trilogia com a estreia de ‘A Cantora Careca’ de Eugène Ionesco, com direção de Eduardo Tolentino de Araujo

"A Cantora Careca" encerra a trilogia apresentada no Festival "Que Absurdo!" De forma rotativa, estão sendo exibidas montagens,  com textos do “Teatro do Absurdo”, termo criado pelo crítico americano Martin Esslin, em 1961, e que  engloba várias obras, de diferentes autores, que utilizam o inusitado, a total falta de sentido, para discutir a linguagem e as relações humanas.

Já estão em cartaz as peças "As Criadas" e  "Uma Peça Por Outra" e em 16 de fevereiro o Grupo Tapa estreia a montagem inédita "A Cantora Careca", de Eugène Ionesco,  com direção de Eduardo Tolentino de Araujo.

A Cantora Careca é considerada a primeira  obra da corrente batizada Teatro do Absurdo. Escrito em 1949 pelo francês Eugène Ionesco (1909 – 1994), o texto é irônico, com diálogos absurdos que levam a total impossibilidade de comunicação entre os seis personagens.  Em uma das cenas mais conhecidas dois estranhos conversam sobre a vida, onde moram, filhos e por fim descobrem que são casados.

“Depois do Holocausto e de Hiroshima, qual o sentido das palavras, do teatro, da vida? É a partir da ausência total de sentido que Ionesco escreve o libreto para sua musa absurda: “A cantora careca”. Temperamental como uma diva que se preze, ela não compareceu a estreia, no minúsculo Teatro de La Huchette, no bairro boêmio e existencialista Saint Germain de pré, em Paris. Atônito, o público ainda compareceu a mais vinte e quatro sessões esperando que a prima dona desse o ar da graça, para então,  cansados de esperar por uma Godot que não vinha, abandonassem a sala junto com a carreira do espetáculo. Foi só em 1957, que imperceptíveis fricções gerassem a explosão atômica que abalou o teatro ocidental com radiações que permanecem até hoje, quando a montagem da “Cantora” completa sessenta e um anos na mesma Huchette, mesmo sem a presença da dita cuja.
É que de lá pra cá, o absurdo ou insólito, como preferia o autor romeno, só proliferou. São torres gêmeas, homens bomba e as redes sociais. Para não falar dos tristes trópicos, claro, com seus Reis Momos republicanos e democratas. Enquanto isso, as pessoas comuns discutem quem deve ser expulso da casa ou quem deve ser o máster chefe, mesmo sem sentir o sabor do que está sendo preparado. Enfim, toda essa digressão ou nariz de cera, foi por causa da pergunta de uma vizinha, fã de teatro, no elevador. “Mas quem é essa cantora? Eu nunca ouvi falar. É famosa?”
Pois aí vai: A cantora não é uma celebridade, na verdade é mera coadjuvante ou melhor, uma figurante que não aparece no filme . Seis pessoas se encontram para um sarau em uma sala pequeno burguesa. Falam do clima, contam piadas, discutem coisas banais etc... Nada muito diferente do que se conversa em uma sala de bate-papo virtual. O assunto nunca ultrapassa os limites da celulite, mas tudo com muita paixão. O sentido vai se esvaziando até que as palavras se transformem apenas em sons. Um humor ácido corrói o que sobra de nós porque com diz uma das criadas de Genet: “É preciso rir, antes que o trágico nos leve pela janela”. Com a montagem da “Cantora Careca”, o Grupo TAPA e Grupo das Dores completam  uma trilogia do Absurdo.  “As criadas” é um poema sinfônico para três solistas, sobre o poder. “uma peça por outra” é um intermezzo divertido, cujo tema é o próprio teatro. “A cantora Careca” é uma obra de câmera para um sexteto afinado capaz de tocar uma música dissonante.”

Eduardo Tolentino de Araujo
Diretor


Festival ‘Que Absurdo!’ 
Três  textos do Teatro do Absurdo
em apresentações rotativas

As Criadas
Uma Peça por Outra
A Cantora Careca

As Criadas:
De 12 de janeiro a 4 de fevereiro:
sextas e sábados, 20h30, domingo, 19h
De 21 de fevereiro a 12 de abril:
quartas e quintas feiras, 20h30.

Uma Peça por Outra:
De 24 de janeiro a 8 de fevereiro:
quartas e quintas feiras, 20:30h.
De 17 de fevereiro a 15 de abril:
sábado, 20h30 e domingos às 19h.

A Cantora Careca
De 16 de fevereiro a 14 de abril:
sextas, 20h30, e sábados, 19h.

Ingressos: R$ 50,00 / R$ 25,00

Passaporte:
Para ver três peças: R$ 90 | R$ 60 meia
Para ver duas peças: R$ 70 | R$ 40 meia

Bilheteria  do teatro abre 2h antes do início do espetáculo.
Pela Internet: www.ingressorapido.com.br  | 4003-1212

Teatro Aliança Francesa
Rua General Jardim 182 – Vila Buarque. Capacidade: 226 lugares + 4 PNE.
Estacionamento conveniado em frente.
Informações: (11) 3572-2379
www.teatroaliancafrancesa.com.br

Sobre os espetáculos

As Criadas
de Jean Genet
Direção: Eduardo Tolentino de Araujo

O espetáculo "As Criadas" está no repertório do Grupo Tapa desde 2015. A direção é de Eduardo Tolentino de Araujo, e no elenco estão as atrizes Clara Carvalho, Mariana Muniz e Emilia Rey.
Escrita por Jean Genet (1910 - 1986) em 1947, “As Criadas” é um clássico da dramaturgia francesa. Reconhecido como escritor de extraordinário talento e admirado por escritores como Jean Cocteau e Jean-Paul Sartre, Genet escreveu a maioria de seus textos durante os anos em que esteve preso, o que confere características bastante únicas a sua obra. Sua inspiração para “As Criadas” foi um caso real ocorrido na França, das irmãs Papin, que mataram a patroa e sua filha no ano 1933.

Uma Peça por Outra
De: Jean Tardieu
Direção: Brian Penido Ross e Guilherme Sant`Anna

Uma Peça Por Outra apresenta esquetes curtas que satirizam a comunicação e as convenções teatrais. A peça apresenta um pot-pourri das peças curtas de Jean Tardieu, multipremiado dramaturgo francês, falecido em 1995, expoente do teatro do absurdo ao lado de  Ionesco, Beckett e Pinter.

O tema central é a discussão da linguagem. A constatação da inutilidade das palavras para o entendimento.  Cada história brinca de forma criativa e divertida  com as questões mais críticas da comunicação humana, ou a falta dela, testando, escutando, pesquisando como ela funciona para então partir para a  desconstrução.

As esquetes são atemporais  e percorrem várias décadas. O espetáculo volta ao teatro Aliança Francesa, mesmo palco onde foi apresentado ao público de São Paulo pela primeira vez, em 1987, em montagem assinada pelo Grupo Tapa, com direção de Eduardo Tolentino de Araujo.

CURTA O EM NEON NO FACEBOOK

Ficha Técnica dos Espetáculos

A Cantora Careca
Texto: Eugène Ionesco
Direção: Eduardo Tolentino de Araujo
Elenco:
Brian Penido Ross / Mr. Smith
Clara Carvalho / Mrs. Martin
Emilia Rey / Mrs. Smith
Guilherme Sant'anna / Capitão Dos Bombeiros
Mariana Muniz / Mary
Riba Carlovich / Mr. Martin

As Criadas
Texto: Jean Genet
Direção: Eduardo Tolentino de Araujo
Cenário / Figurinos: Marcela Donato
Iluminação: Nelson Ferreira
Elenco:
Clara Carvalho
Emília Rey
Mariana Muniz
Duração: 90 min
Gênero: drama
Recomendação: 14 anos
Produção Executiva: Ariel Cannal

Uma Peça por Outra
Texto: Jean Tardieu
Direção: Brian Penido Ross / Guilherme Sant'Anna
Cenário / Figurino: Ana Lys
Iluminação: Nelson Ferreira
Elenco:
Brian Penido Ross
Clara Carvalho
Camila Czerkes
Emília Rey
Felipe Souza
Ana Lys
Guilherme Sant'Anna
Paulo Marcos
Bráulio Vidile
Jonatan Harold
Gênero: Comédia
Duração: 75 min.
Recomendação: 12 anos
Produção Geral: Ana Lys
Produção Executiva: Ariel Cannal
Contrarregras: Jessica Monte / Edgar Pedro

Festival - Que Absurdo!
Produção Executiva: Ariel Cannal
Produção Geral: Ariel Cannal
Contrarregras: Alan Foster / Leandro Mazzini / Natalia Beukers

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Espetáculo ‘As Divinas Mãos de Adam’ está de volta ao Rio

Em Neon: segunda-feira, 9 de abril de 2018

Drama premiado em 2015 como melhor texto teatral pelo Prêmio Dalcídio Jurandir, "As divinas mãos de Adam" do dramaturgo e escritor Roberto Muniz Dias, está em cartaz sob a direção de EmerLavinni.

As Divinas Mãos de Adam estreia no dia 02 de abril, segunda-feira, no Espaço Casa Rio em Botafogo.

A peça premiada “As Divinas Mãos de Adam”, do escritor e dramaturgo Roberto Muniz Dias, volta ao Rio de Janeiro e leva o público a questionar pensamentos e crenças com temas sensíveis, como desejo na velhice, solidão, preconceitos e verdades absolutas.

Dirigida por EmerLavinni e realizado pela Cia Popular Versátil, o drama que é dividido em dois atos, narra a história de Adam (Héctor Medina) um jovem imigrante, que passa dificuldades em um país distante e Stephen (Mario Cardona), um paraplégico que ainda acredita em alguma humanidade com a possibilidade de sentir prazer. Rita (Ana Carolina Rainha), frustrada e rancorosa, responsabiliza o irmão, Stephen, pela sua falta de conquistas. Unidos por sentimentos de raiva, tristeza, incapacidade e desejos reprimidos, eles entram em confronto por algum fato que pode ter acontecido. Mas o que será que realmente aconteceu?

O drama é dividido em dois atos. No primeiro temos Adam – um jovem imigrante, morando num país distante de sua terra natal. Saiu de casa para novas oportunidades numa cidade grande. Sem emprego, morando num albergue, sem o apoio da família, nem amigos. A beira do desespero, tentando se manter numa cidade prestes a engoli-lo vivo, procura por emprego nos classificados do jornal impresso de maior circulação. Aceitou uma oportunidade de emprego um tanto quanto estranha. A caminho da provável entrevista de emprego, Adam repensa arriscar-se nesta inusitada forma de ganhar dinheiro.

Nos classificados lia-se: “Paga-se bem para desempenhar serviços sexuais (masturbação) a um homem cego e que não tem controle completo das mãos. Ambos os sexos”. Este homem do anúncio é Stephen, paraplégico, sem os devidos movimentos das pernas e das mãos. Mas que ainda acreditava em alguma masculinidade e humanidade, expressas pela possibilidade de ainda sentir prazer. Medo, confusão, tensão e empatia, neste primeiro ato, dão lugar a uma inusitada amizade.

No segundo ato, temos a presença de Rita, que cuida do irmão e aparece, de repente, no quarto, deparando-se com uma cena inesperada. Então, começa a fazer suposições que afetam as individualidades dos dois homens, confrontados pela mentira, o onírico e o divino. Mas o que de fato aconteceu? Que transformações se operaram naquelas três pessoas tão diferentes? No final, somos defrontados com nossos próprios desejos, pensamentos e crenças.

Para o autor, romancista, dramaturgo e mestre em Literatura pela UNB, transpor para o palco questões  presentes na sociedade moderna como afetividade, respeito à diversidade, bem como assuntos relacionados às pessoas com deficiência física são temas importantes para trazer à comunidade a conscientização sobre diferentes formas de afetividade e inclusão social. A peça gira em torno de áreas como Psicologia e Sociologia pela abordagem de temas sensíveis como homoafetividade, deficiência física, homofobia e sexualidades.

CURTA O EM NEON NO FACEBOOK

Ficha Técnica 
Elenco: Ana Carolina Rainha, Héctor Medina e Mario Cardona
Texto: Roberto Muniz Dias
Direção Artística:EmerLavinni
Iluminação:Anauã Vilhena
Cenário e Figurino: Nina Nabuco
Trilha Sonora Original: Lucas Simonetti
Fotografia: Helton Santos
Fonoaudióloga: Leila Mendes
Assessoria Imprensa: Dulce Siqueira /Komulinka Comunicação.
Realização: Cia Popular Versátil

Serviço
Espetáculo:   As Divinas Mãos de Adam
Temporada: Dias 02 -09 -16  e 23 de abril de 2018 
Horário: Segundas-feiras, às 20h.
Local: Teatro Casa Rio
Endereço:R. São João Batista, 105 - Botafogo, Rio de Janeiro - RJ, 
Ingressos: R$40,00 (inteira), R$20,00 (meia) e R$ 10,00 (amiga)
Informações: 2148-6999
Capacidade:35 lugares
Gênero: Drama
Duração: 60 min.
Classificação etária: 14 anos

 
Todos os direitos reservados para © 2014 Em Neon
Desenvolvido por Code Art Design by Maurício Code