NOVIDADES

COMPORTAMENTO

sexo

Vídeos

Arquivo Em Neon

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Antenado: A ingratidão dentro da relação

Em Neon: quinta-feira, 20 de novembro de 2014



Voltei a escrever os textos da "série" "Problemas dos Relacionamentos" e resolvi falar sobre...
..."INGRATIDÃO DENTRO DA RELAÇÃO".

CURTA O EM NEON NO FACEBOOK

É, meus amigos e amigas...quem nunca???
Acho que todo mundo já se sentiu injustiçado dentro de um relacionamento. Todo mundo já sentiu desequilíbrio entre o "dar" e o "receber", seja carinho, amor, atenção, ou até mesmo em atitudes, que mostram que nem sempre achamos aquela "parceria" na pessoa amada. É péssimo precisar e não poder contar...ou levar um "pé na bunda" logo após você ter abdicado de algo, para favorecer a pessoa amada. Seria ingratidão?

A ingratidão, pode ser, por vezes, pior do que a infidelidade pura e crua.

No caso do filme que vi semana passada e que me inspirou, o cara era casado. Sua esposa, compositora, criava músicas para que ele cantasse, e deixava de cantar as próprias músicas, abdicando de um baita potencial para que a carreira dele decolasse. Ao primeiro sinal de sucesso, o cara trocou-a num estalar de dedos, pela primeira mulher que ele conheceu no "meio" produção/gravação. O que era "nós", passou a ser "eu" x "você".

O problema é que a ingratidão, é realmente um dos maiores males da humanidade e não aflige somente as relações amorosas. Ela destrói amizades, relações familiares, etc. As pessoas tem memória curta demais e estão literalmente "cagando" para o sentimento alheio. Isso é fruto da dificuldade de se colocar no lugar da outra pessoa??? Ou é pura "rasidão" mesmo?

Você faz tudo para ajudar uma pessoa...na primeira situação aonde precisa dela...tens que se virar sozinho! Palmas!!! Você ganhou o prêmio de maior otário(a) do ano!!! Calma, não é bem assim...acontece com todo mundo!

É péssimo quando você se dedica demais - e, claro - não deveria esperar nada em troca. Mas espera e não recebe na mesma proporção, aquele "tanto" que se doou.

Ocorre que este papo de "não criar expectativa", de fazer sem esperar retorno, é lindo na teoria, mas humanos não são teóricos, são práticos, vivem, existem, precisam de sentimentos para se nutrir.

É péssimo tomar uma "rasteira da vida", ainda mais quando parte de quem você ama e confia, não é verdade?

Nem sempre a pessoa faz por maldade! O que ocorre é totalmente vinculado ao "excesso de opção", já citado nos textos anteriores. Pensa comigo:
O cara está lá, todo feliz em sua relação, se sentindo amado e amando. Aí, começa a trabalhar numa certa empresa. Surge uma "amiga de trabalho" que se interessa por ele. Mas não, ele não tem interesse, ele está numa boa. Mas infelizmente a maioria, talvez por necessidade de inflar o ego, insegurança, ou sei lá o que, adora dar uma corda, ver aonde pode chegar, afinal todo mundo adora ter seu ego massageado. Mas algumas "massagens" caem na sua vida mais duras que aço, mais frias que gelo e podem tirar o que de melhor você tem...ou neste caso...tinha! Troca-se algo bacana por algo muitas vezes superficial e sem futuro. Ou seja, um tiro no pé!!!

A maioria já se encontrou no papel ativo e passivo desta ingratidão, ao longo da vida, pelo menos uma vez. Ser vítima disso, não é uma escolha sua. Porém ser o autor, é! Você encontrou alguém por quem valha a pena lutar, com quem valha a pena estar? Então pare de fazer leilão, de ficar de olho no que as outras pessoas tem pra lhe oferecer de "melhor". Cuidado!!! Porque olhando de fora, é fácil de se encantar. O tigre, olhando-se de fora da jaula, é um animal encantador. Mas pula lá dentro e depois me conta como foi...

Antigamente os valores eram mais sólidos! Hoje vivemos um caos sentimental. É a geração mais "volátil" que existiu, quando se trata de consideração para com o próximo, de respeito a quem lhe respeita. Muita gente olhando apenas para seu próprio umbigo! Triste...

Mesmo decorrendo do excesso de opção, a "ingratidão" dentro da relação, é um grande "cupim" para o casal. Ela é sim, culpa de uma grande quantidade de términos.

Talvez o único "antídoto" para isso, fosse que as pessoas se tornem mais parceiras, mais gratas, mais amigas e devotas. Muitas vezes Deus coloca em seu caminho "A" pessoa e você não valoriza. Ou a pessoa não valoriza você. Relacionamento tem que ser "fechamento". Tá junto? Então é pra todas as horas, as boas e as más. Não importa se você está curtindo em seu iate, se está num mega evento, ou se está sentado no sofá, vendo um DVD. Quem está conti
go, pra te merecer, tem que querer, seja aonde for, estar com você!

Então, "gente boa", faz assim: se tu perder uma pessoa que te faz bem, por causa da sua imaturidade, curiosidade, infantilidade ou qualquer um destes "dade's" da vida, fica combinado: não vá chorar depois, ok? Não vá culpar a vida, o mundo, Deus, ou seja lá quem ou o que...pois quando a felicidade bate na sua PORTA, não é pela JANELA que você vai achar o caminho certo!

Imagem 1: Navy SEALs Training
Imagem 2: Frame do filme "Antichrist"
Imagem 3: Internet


Por: Rodrigo Castanheira

Rodrigo intitula-se um escritor amador (cria textos desde Abril/2012). Adora viajar e não abre mão de um chopp gelado e uma boa "resenha" (bate-papo) com os amigos no final de semana. Cinéfilo assumido, viciado em seriados, adora ler e é um grande observador da natureza humana. Extremamente comunicativo, diz que seu dom é entender as pessoas, é "ler" o ser humano. É esta leitura que lhe propicia escrever facilmente.

 
Todos os direitos reservados para © 2014 Em Neon
Desenvolvido por Code Art Design by Maurício Code