NOVIDADES

COMPORTAMENTO

sexo

Vídeos

Arquivo Em Neon

terça-feira, 3 de junho de 2014

Mundo LGBT: Fotógrafa mostra vida de transexuais cubanas em livro

Em Neon: terça-feira, 3 de junho de 2014


Laura em seu apartamento. Ela vive sozinha. Sua mãe morreu, seu pai deixou a família e seu irmão não vai vê-la

A fotógrafa e pintora nova-iorquina, Mariette Pathy Allen dedicou mais de três décadas de sua vida documentando a vida e a cultura transexual em torno do mundo. Em 2004 ela ganhou o Prêmio Literário Lambda, por sua monografia The Frontier Gender (A Fronteira do Gênero). Agora ela lança TransCuba, livro que mostra a comunidade transgênero de Cuba, especialmente a sua crescente visibilidade e aceitação em um país cujo governo é a transição para um modelo mais descontraído do comunismo sob a presidência de Raúl Castro. 

Malu em frente a sua casa com seus pais e a irmã mais nova 
Este seu terceiro livro foca seu “casamento” com a comunidade transgênero, iniciada em 1978, e particularmente, em um grupo de mulheres trans com quem ela formou uma relação estreita e de confiança. 

O livro traz 80 fotografias coloridas e um prefácio de Mariela Castro Espín, filha de Raúl Castro.

Amanda em casa, Havana, Cuba
Em entrevista a seu mentor Harold Feinstein, Mariette falou sobre o novo livro: “Nos últimos 35 anos, tenho estado envolvida com a comunidade transgênero, como fotógrafa, escritora, advogada, aliada e amiga. Meu foco continua sendo o mesmo de quando eu comecei : As variantes de gênero. Apenas no processo de viver as suas vidas. As pessoas que estão em não conformidade de gênero fazem perguntas visivelmente profundas: Qual é a relação entre o corpo e a mente? O que significa ‘homem’ ou ‘mulher’? Finalmente, o que é a essência de um ser humano?

Parece-me que as mudanças que estão sendo feitas pelo governo cubano são mais óbvia quando olhamos para as pessoas que, pela sua natureza, precisam fazer a transição de seu sexo de nascimento. Vejo transexuais cubanos como uma metáfora para a própria Cuba: Pessoas que vivem entre os sexos em um país que se desloca entre doutrinas.

Um parcela de crédito para fazer suas vidas mais fáceis, pertence a filha de Raul Castro, a sexóloga Mariela Castro Espín. Ela está fazendo sua própria revolução através da criação de campanhas de combate à discriminação, trabalhando para melhorar o tratamento jurídico, psicológico e médico, incluindo a cirurgia de mudança de sexo, e fomentar ligações mais estreitas entre as minorias sexuais em Havana e em todo o país.

Embora todas as mulheres que conheci são altamente individuais, todos elas pareciam querer a mesma coisa romanticamente: Um namorado adolescente, bonito, a quem se referiam como seus ‘maridos’. Por outro lado, se a mulher transexual era muito jovem, ela queria um homem muito mais velho. Eu quase não encontrei ninguém que quisesse se envolver com alguém da mesma idade, e nunca conheci ninguém que se sentia atraído por mulheres ou outras mulheres transexuais. Quando perguntei a elas porque queriam homens jovens, a maioria disse: ‘Eles são tão bonitos !’ Para mim, esta tradição romântica é mais uma variação ao longo da identidade de gênero e orientação sexual contínuos e eu amo a indefinição do sexo e estereótipos de gênero.”

Alsola tem 23 anos, queria ir para a faculdade, mas desistiu já que ela não poderia ir como mulher
Outros trabalhos com a mesma temática
O primeiro livro de Mariette Pathy Allen foi “Transformations: Crossdressers and Those Who Love” (Transformações: Crossdressers e aqueles que os amam) foi inovadora em sua investigação de uma comunidade mal compreendida. Seu segundo livro "The Frontier Gender" (A Fronteira do Gênero) é uma coleção de fotografias, entrevistas e ensaios que cobrem o ativismo político, a juventude e a gama de pessoas que se identificam como transexuais nos EUA. Mariette também tem sido uma consultora valiosa para vários filmes sobre gênero e sexualidade.

Veja mais fotos do livro:


A Redação
 
Todos os direitos reservados para © 2014 Em Neon
Desenvolvido por Code Art Design by Maurício Code