NOVIDADES

COMPORTAMENTO

sexo

Vídeos

Arquivo Em Neon

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Doutor Neon: A problemática ejaculação precoce

Em Neon: quinta-feira, 19 de junho de 2014


Há homens que sequer desconfiam que sofrem de ejaculação precoce, melhor chamada de ejaculação rápida. E para ela já há tratamentos bem satisfatórios. Independente de ser o ativo ou o passivo, a ejaculação rápida passa a ser um problema quando o parceiro reclama, ou quando o homem já não consegue "dar mais de uma", no dito popular.

É nessa hora que ele procura ajuda, pois o parceiro reclama ou a vida sexual dele perde qualidade.

A ejaculação rápida pode ser primária ou secundária. Secundária a uma doença, como infecção na próstata ou excesso de hormônio produzido pela tireoide e que de uma hora para outra, aparece como sintoma na vida sexual do homem. A ejaculação primária é aquela que se manifesta desde o início da atividade sexual do homem. Ambas podem ser controladas.

Disponível no Brasil somente na forma manipulada, a dapoxetina é uma droga usada sob demanda (algumas horas antes do ato sexual) e tem revolucionado o comportamento sexual, dos homens que se queixam de ejacular rápido.

Clínica CZ disponibiliza novo tratamento

Uma das formas de tratamento da ejaculação precoce é com o uso de antidepressivos, que normalmente têm como efeito colateral, o bloqueio ou retardo da ejaculação masculina. A dapoxetina é um antidepressivo que inibe a recaptação da serotonina e com isso, melhora o ânimo dos pacientes. Mas como tende a retardar a ejaculação, vem sendo usado para o controle da ejaculação rápida. A vantagem em relação à terapia com outros antidepressivos, é que ela é administrada somente quando o paciente for ter o ato sexual, diminuindo assim efeitos colaterais que normalmente esses medicamentos podem causar quando utilizados de forma contínua, como tonturas e náuseas.

Mas a dapoxetina ainda não pode ser encontrada nas farmácias brasileiras. A Clínica CZ (www.clinicacz.com) está fechando parceria com farmácias que a manipulam e assim, passa a ter mais uma ferramenta no auxílio do tratamento deste tipo de comportamento.

A dapoxetina é um fármaco utilizado pela medicina como tratamento para a ejaculação precoce masculina. Pertence a mesma classe dafluoxetina, sendo considerado um inibidor seletivo da recaptação daserotonina. Foi desenvolvida nos laboratórios Eli Lilly inicialmente como antidepressivo.

Um estudo realizado pela Universidade de Minnesota mostrou que a droga não possui efeitos colaterais. Na avaliação, 1200 homens ejaculavam depois de um minuto do início da relação (média), após o tratamento, com doses de 30 e 60 mg, ejaculavam depois de três minutos.

O medicamento não aumenta o desejo sexual e as hipóteses para a sua ação são a consequência do aumento de serotonina nas regiões ligadas ao prazer sexual, diminuindo assim o libido e a ansiedade. Dapoxetina também causaria o espessamento das secreções do esperma, reduzindo o tempo de ejaculação.

Como prolongar o ato sexual

Se tem uma coisa que escuto com  frequência, é que o homem gay acha que tem o orgasmo muito rápido. E muitos querem encontrar uma solução para isso.

Como causa, há desde um simples fato, como uma novidade (um novo companheiro, um lugar diferente), até distúrbios de comportamento, como ejaculação rápida.

Para o homem que deseja prolongar o ato sexual, postergando o orgasmo, lançamos mão de atos e medicamentos.

Quanto aos atos, é importante reconhecer as situações que levam a um orgasmo mais rápido. Reconhecendo-os, há uma informação que já faz com que a sua ansiedade diminua e consequentemente, a rapidez do orgasmo também. Avalie seu companheiro, veja o que ele veste no momento, a atitude dele e administre o que pode aumentar a sua excitação. Veja se o local e a situação contribuem para um ato sexual mais relaxado.

Quanto às terapias, hoje em dia temos muitos medicamentos que interferem no ato da ejaculação, sendo os antidepressivos, as drogas mais usadas. Mas também temos os ansiolíticos e as drogas que melhoram a qualidade da rigidez peniana e que também interferem, postergando o orgasmo.

Um dos grandes avanços no tratamento da ejaculação precoce, por exemplo, foi a descoberta do antidepressivo dapoxetina (como dito acima - no Brasil só está disponível por manipulação laboratorial. Na Clínica CZ, temos uma farmácia de manipulação que a prepara para os nossos pacientes) que pode ser tomado somente nas horas que antecedem o ato sexual, ao contrário dos outros antidepressivos que para atuarem retardando a ejaculação, necessitam ser administrados diariamente.

Às vezes é necessário um coquetel de medicamentos para que consigamos fazer que nosso paciente retarde o orgasmo, mas a maioria deles reage muito bem e se sente satisfeito com o resultado. E com o tempo, esse coquetel acaba sendo desnecessário. E lembre-se: o ato sexual é uma atividade aeróbica. Portanto prepare-se para ele tendo uma atividade física regular e adotando hábitos de vida saudáveis.

Por: Dr. Cid Zauli

Dr. Cid da Fonseca Zauli, nasceu em Niterói RJ), formado em Medicina pela Unversidade Federal Fluminense. Fez residência médica na especialidade de Urologia na cidade de São Paulo e especialização no Centro Médico Porte de Choisy, Paris- França. É especialista em Urologia pela Sociedade Brasileira de Urologia, faz parte das sociedades Americana e Européia de Urologia. Atua como urologista há 29 anos. Hoje mora em São Paulo/SP e é diretor da Cid Zauli Clínica Urológica Ltda (www.clinicacz.com). Atua nos hospitais Nove de Julho, Albert Einstein, Oswaldo Cruz e São Luiz. E esclarece dúvidas nos Blogs Uroblogay e Urologia Cid Zauli.

 
Todos os direitos reservados para © 2014 Em Neon
Desenvolvido por Code Art Design by Maurício Code