NOVIDADES

COMPORTAMENTO

sexo

Vídeos

Arquivo Em Neon

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Xtravaganza: Marca de underwear britânica abrange homens de todas as formas e tamanhos

Em Neon: quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Com o intuito de driblar o tal “padrão de beleza” estipulado por algumas pessoas, a Surge Underwear, marca britânica de roupas íntimas, apostou em uma nova campanha onde inclui vários “tipos de homens”, de variadas idades, como seu público, valorizando assim suas formas e apostando em vários tamanhos.

Com os tamanhos P (71- 76cm), M (79 -84cm), G (86 – 91cm) e XL (94 – 99cm) a Surge pretende atingir um número maior de consumidores.

Para a campanha, a marca recrutou onze homens de estaturas, idades e formas diferentes para divulgar o produto.

CURTA O EM NEON NO FACEBOOK

Conhecido por sua participação no Celebrity Big Brother, Austin Armacost, juntamente com 10 caras estrelam a campanha da Surge Underwear.

Armacost além de estrelar a nova campanha é o diretor da marca. Em entrevista ao site britânico Attitude, Austin, 30, disse esperar que as imagens ajudem a combater o "padrão de beleza inatingível" propagado por muitas marcas de roupas íntimas.

"Nós nos sentamos e projetamos essa linha há mais de um ano e, desde o primeiro dia, decidimos que nossa marca seria uma marca inclusiva", explica ele.

"Nós não queremos desprezar ninguém. Homens com músculos, homens magros, caras maiores queremos que todos se sintam sexy e confiantes ao usar nossa marca. Cada pessoa é linda e isso precisa ser mais celebrado."

"Há muita conversa sobre marcas de rua femininas usando modelos plus size, mas onde estão os homens? Queremos adicionar para superar um padrão de beleza inatingível e exibir uma representação precisa do 'homem de todos os dias'."

De acordo com uma pesquisa realizada pela Surge, um em cada 10 homens que treinam em ginásios do Reino Unido pode ter uma condição conhecida como dismofia muscular, um distúrbio de ansiedade em que as pessoas se vêem pequenas, apesar de serem grandes e musculosas. Também conhecida como "bigorexia", a disforia muscular pode levar à depressão, ao abuso de esteróides e até ao suicídio.

Indagados sobre sua própria batalha com a imagem corporal, os modelos disseram:

Christopher Paul Barnes – 43 anos

"Não acredito que as mídias sociais tenham impactado o modo como as pessoas vêem seus corpos. Com a Surge me sinto confortável, como se eu estivesse nu".

Daniel Leo Stanley – 30 anos

Também diz que se sente à vontade, como nu - e falando se há uma pressão para atender às expectativas da sociedade disse: "Não, mas geralmente há uma pressão para perder peso e para ser musculoso. Eu tento ignorar isso e trabalho com o tamanho natural e a forma do meu corpo".

Dexter Montgomery – 18 anos

O jovem falando sobre sua confiança ao se olhar nu disse: "Antes da minha operação, eu costumava odiar o que eu olhava no espelho. Mas eu estou aceitando muito mais o meu corpo. Me sinto pressionado pelas mídias sociais, mas há muitos relatos de positividade corporal que são bons. Muitas mudanças ainda precisam ser feitas".

Scott Keith – 35 anos

Admite que às vezes não se sente confortável nu e sente que há uma pressão para parecer de certa forma, já que "todos" os modelos "são rasgados e não normais".

Luis Gabriel Gonzalez-Castro – 40 anos

Revelou que se sente à vontade nu e suas pernas são a parte favorita de seu corpo. Disse que às vezes ele sente pressão para se ver de certa maneira, mas está tentando mudar isso. “De uma forma positiva [as mídias sociais] fizeram as pessoas realmente considerarem seu estilo de vida. Não necessariamente para parecerem perfeitas, mas para serem mais saudáveis por dentro".

James Andrew Vickery – 23 anos

Disse que não sente a pressão de parecer de uma determinada maneira e acredita que todos deveriam abraçar sua aparência. "A mídia social é uma plataforma gigantesca hoje em dia e as pessoas a usam mais para ver o que as pessoas estão fazendo, parecendo e, é claro, para julgar".

Jordan James – 21 anos

Disse que às vezes ele sente uma pressão para parecer de uma determinada maneira como nas mídias sociais: "As pessoas usam filtros e não mostram seu verdadeiro eu".

James Slevin – 25 anos

Disse que não sente pressão para parecer de certa forma, mas a mídia social "tornou as pessoas muito mais autoconscientes".

Austyn Farrell – 25 anos

Disse que se sente confortável em boxers, mas não totalmente nu. O dançarino que nota suas coxas como seu atributo favorito afirma que às vezes ele sente pressão para parecer de uma certa maneira: "Como dançarino eu posso ser muito julgado. Especialmente quando estou dançando sem camisa na TV, posso me sentir intimidado. Eu sinto que a mídia social tem feito coisas terríveis pelos corpos das pessoas, especialmente pra mim. As pessoas comparam os corpos nas redes sociais e o corpo envergonha-se demais! Vivemos em um mundo onde tantas pessoas não se sentem confortáveis em sua própria pele".

Jay Kamiraz – 39 anos

Disse: "Eu me sinto confortável nu a portas fechadas, demorou um pouco para eu chegar onde estou com a minha confiança corporal. A mídia social e a mídia em geral nos pressionam a parecer de uma determinada maneira. Eu quero me livrar dessa pressão e ajudar as pessoas a se sentirem confiantes. A mídia social pode fazer uma de duas coisas, pode ajudar a promover corpos confiantes ou pode promover negatividade com pessoas que tenham vergonha do corpo - eu fui vítima disso".

Austin Armacost – 30 anos

Depois de encontrar a fama na TV americana, revelou que seu bumbum é sua parte favorita do corpo. O diretor da marca 6ft Surge afirma “sinto-me extremamente confortável em estar nu, como você pode conferir nos meus muitos posts de nudez no Instagram. Eu amo meu corpo e trabalho duro para mantê-lo na melhor forma que posso. Eu completei 30 anos este ano e definitivamente está ficando mais difícil de me manter. Mas eu aprecio todas as várias formas e tamanhos da forma humana. As pessoas precisam abraçar e apreciar a variedade. Eu sinto a pressão de padrões de beleza, perfeição percebida, etc. dentro da comunidade gay também acho particularmente difícil. Espero encorajar as pessoas a abraçarem seus corpos, possuírem cada centímetro e cada quilo. Você é lindo! Na mídia social, lamentavelmente o aumento maciço de aplicativos como o FaceTune & Snapseed, está trazendo imagens nas redes sociais cada vez menos autênticas, o que está perpetuando um padrão de beleza ainda mais inatingível. É por isso que eu queria fazer essa campanha para mostrar às pessoas que somos todos diferentes e está tudo bem ”.

Surge underwear disponível para todo o mundo pelo site www.surgeunderwear.com

 
Todos os direitos reservados para © 2014 Em Neon
Desenvolvido por Code Art Design by Maurício Code