NOVIDADES

COMPORTAMENTO

sexo

Vídeos

Arquivo Em Neon

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Kadyrov alimenta homofobia em entrevista à HBO: ‘Não há homens gays na Chechênia - mas, se houver, eles devem ser deportados para o Canadá’

Em Neon: segunda-feira, 17 de julho de 2017

Matéria original do site inglês Independent

O líder checheno Ramzan Kadyrov negou a existência de homens gays em seu país - antes de dizer: "Se houver, leve-os para o Canadá".

Durante uma entrevista na rede de TV HBO, o Sr. Kadyrov, chefe da República Chechena , foi veemente em suas negativas quando perguntado sobre a comunidade LGBT no país da Europa Oriental.

David Scott, do Real Sports da HBO, perguntou ao chefe de estado de 40 anos: "Queria perguntar-lhe sobre a suposta reunião, o rapto e a tortura de homens gays na República. O que, Senhor Presidente, quer dizer sobre isso? "

"Isso é bobagem", disse ele em resposta. "Nós não temos esses tipos de pessoas aqui. Não temos gays".

No caso de alguns homossexuais terem passado pela rede, o Sr. Kadyrov recomendou o transporte para o Canadá. "Leve-os longe de nós, então não os temos em casa. Para purificar nosso sangue, se houver algum aqui, leve-os ".

O Sr. Scott continuou a pressionar o líder checheno, dizendo: "Mas você não se preocupa quando lê estes relatos de homens jovens que dizem ter sido torturados por dias?"

O Sr. Kadyrov respondeu com raiva: "Eles são demônios. Eles estão à venda. Eles não são pessoas. Deus os abençoe pelo que eles nos acusam. Eles terão que responder ao Todo-Poderoso por isso ".
Durante a entrevista da HBO o Sr. Kadyrov também prometeu "colocar o mundo de joelhos e detê-lo por trás".

O Canadá condenou a Chechênia por supostamente torturar e matar homens gays.

Um porta-voz dos assuntos globais enviou uma declaração à BuzzFeed News em abril, dizendo: "Estamos muito preocupados com todas e quaisquer alegações de violações dos direitos humanos na Chechênia, na Rússia.

"O Canadá deplora os atos de violência e discriminação, em todas as regiões do mundo, cometidos contra indivíduos por sua orientação sexual ou identidade de gênero".

O jornal russo Novaya Gazeta foi o primeiro a romper a história de uma purga anti-gay na república do sul da Rússia.

Um homem que fugiu da Chechênia disse ao The Guardian que  ele foi desnudado por três homens, filmado e espancado. "Eles me gritaram insultos, eles quebraram meu maxilar e me deixaram coberto de sangue", disse ele. "Eles me disseram que eu tinha que pagar um enorme suborno ou eles publicariam o vídeo on-line e contariam a minha família que eu era gay".

CURTA O EM NEON NO FACEBOOK

 
Todos os direitos reservados para © 2014 Em Neon
Desenvolvido por Code Art Design by Maurício Code