NOVIDADES

COMPORTAMENTO

sexo

Vídeos

Arquivo Em Neon

sexta-feira, 22 de julho de 2016

UNICEF alerta para o aumento de casos de HIV em adolescentes

Em Neon: sexta-feira, 22 de julho de 2016


O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) observou que, em média, 29 adolescentes entre 15 e 19 anos de idade são infectados com o HIV a cada hora no mundo. Também informou que a AIDS é a segunda principal causa de morte mundial nesta população. A agência da ONU expressou a sua preocupação com estes números, divulgado na edição número XXI da Conferência Internacional HIV / AIDS, realizada esta semana em Durban, África do Sul.

De acordo com Anthony Lake, diretor executivo da UNICEF, as crianças e adolescentes são os mais vulneráveis ​​no mundo contra o setor populacional de infecção pelo HIV, 65% dos novos casos do vírus são registrados neste grupo.

"Depois de salvar e melhorar vidas através da prevenção, tratamento e cuidados, para ganhar as batalhas contra o preconceito e ignorância, para acumular uma riqueza de experiência na área, a AIDS ainda é a segunda principal causa de morte em todo o mundo no grupo de pessoas entre 10 e 19 anos e o primeiro na África neste setor da população ", compartilhou Lake.

O chefe do órgão disse que o medo é um dos principais obstáculos a serem derrubados na luta contra a epidemia do vírus. Apenas 13% da população mundial de crianças e adolescentes foi submetido a um teste de rastreio.

CURTA O EM NEON NO FACEBOOK

Um estudo realizado pela UNICEF em 16 países mostrou que 68% dos 52 000 jovens entrevistados disseram que não desejam fazer um teste para saber sobre o vírus, por medo de obter um resultado positivo e medo das consequências sociais que dela decorrem, como o estigma e a exclusão social.

Por outro lado, a agência da ONU informou que os programas de prevenção da transmissão do vírus entre mãe e filho têm permitido a incidência neste tipo de infecção que caiu 70% a nível mundial, o que equivale a impedir que 1,6 milhões de crianças vivam com o vírus.

Lake assinalou que a luta contra a AIDS não vai acabar até que a prevenção aumente os esforços de acesso ao tratamento anti-retroviral, a fim de acabar com o estigma e o medo que impedem muitas pessoas de serem diagnosticadas cedo.

Imagem: Reprodução da Internet

Com informações de Desastre e La Tercera


 
Todos os direitos reservados para © 2014 Em Neon
Desenvolvido por Code Art Design by Maurício Code