NOVIDADES

COMPORTAMENTO

sexo

Vídeos

Arquivo Em Neon

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Emoção e Fé - Criador da Drag Queen Dindry Buck faz homilia sobre Diversidade Sexual e é homenageado em missa

Em Neon: quarta-feira, 6 de julho de 2016


"Um dia que, com certeza, ficará gravado para sempre em meu coração. Uma experiência única e inesquecível. Um carinho e uma acolhida sem explicação. Algo que marcou minha alma e minha vida de fé e me fez crescer mais como ser humano e como cristão."

Assim define Albert Roggenbuck, o criador da Drag Queen Dindry Buck, sobre sua participação no segundo dia do Septenário Dominical em louvor a Nossa Senhora do Carmo, na Paróquia de mesmo nome em Itaquera.

Católico Apostólico Romano praticante, participante da Pastoral litúrgica de sua paróquia - Paróquia Sant´Ana - também em Itaquera, Albert sempre foi super bem acolhido nas paróquias que frequentou e nunca teve sua orientação sexual questionada. Inclusive na sua paróquia anima as festas de final de ano como Drag Queen.

O Domingo dia 12 de junho de 2016 marcou para sempre a vida de Albert Roggenbuck. A convite do Padre Paulo Sérgio Bezerra e Eduardo Brasileiro, ele foi ministrar a homilia contando sua história de vida e falando sobre as questões da Diversidade Sexual, algo emocionante e desafiador. No segundo dia do septenário o tema foi "Diversidade Sexual: Manifestações - Provados pela vida, arriscam na esperança".

Memorial do Senhor

Já no folheto da missa - Memorial do Senhor - um texto de acolhida fazia referência ao tema que seria falado:

"Acolhemos, no 2º domingo do septenário de N. Sra. do Carmo, o publicitário, jornalista, militante LGBT e idealizador do Esquadrão das Drags, Albert Roggenbuck, a Drag Queen Dindry Buck. Entramos no pantanoso território da diversidade sexual e suas naturais manifestações."

O texto foi lido no início da missa e após os ritos iniciais a Pastoral da Juventude fez um revival da vida de Albert, desde sua infância na cidade de São Francisco, em Minas Gerais, até o surgimento e ápice da Drag Queen Dindry Buck, personagem que o fez entrar em contato com a militância LGBT e o projetou no cenário nacional.

Albert Roggenbuck confessou que teve sonhos e até um pesadelo a noite, estava tenso, mas assim que começou a homilia e cantou o refrão do canto: "Onde amor e a caridade Deus ai está" se tranquilizou.

Esse foi o resultado:



Após ser aplaudido de pé, após a homilia, Albert não parou de se emocionar. Em um dos momentos mais importantes da missa: a elevação do Corpo e Sangue de Cristo, o "Por Cristo, em Cristo e com Cristo", o Padre Paulo Bezerra o convidou para erguer o cálice.

Na hora da comunhão, Albert foi convidado a distribuir a Santa Eucaristia para os presentes e viveu a grande emoção de entregar o Corpo de Cristo à sua amada mãe, que beijou suas mãos em sinal de benção e muita felicidade.

Após a comunhão um surpresa homenagem: uma garotinha cantou a música "Paula e Bebeto", de Milton Nascimento, que tem o lindo refrão: "Toda maneira de amor vale a pena", Albert não coube de emoção e era felicidade pura.

Nos momentos finais, o Padre Paulo Sérgio Bezerra mais uma vez agradeceu imensamente a presença de Albert Roggenbuck e fez uma comparação com o Evangelho do dia - LC 7,36-8,3 - (a pecadora que entrou na casa do fariseu e lavou os pés de Jesus com suas lágrimas, enxugou com seus cabelos e não parou de beijar): "Hoje uma Drag Queen, Dindry Buck, entrou em nossa igreja e sentou-se a mesa do Senhor".

Albert explicou sobre o material que levou sobre a lei  10.948/01 de 2001 de combate a Homofobia que foi distribuído para todos os presentes e naquela manhã fria, abriu sua jaqueta para mostrar a foto da Dindry Buck estampada com muito orgulho em seu peito: "Para fechar com chave de ouro os jovens pediram para me pegar no colo e fazer uma foto. Eu me senti como na passagem Bíblica da Transfiguração - Mt 17, 1-5 - queria ficar para sempre no Monte Tabor. Não sei como agradecer ao Eduardo Brasileiro pelo contato, ao Padre Paulo Sérgio Bezerra pelo carinho e a toda a comunidade pela acolhida sem igual". Essa é a frase final de Albert Roggenbuck após viver um dos momentos mais lindos de sua vida.

No final da celebração muitos pais e mães vieram até Albert para agradecer a linda homilia e o quanto foi importante para eles, muitos falaram que tinham filhos gays, filhas lésbicas ou algum parente homossexual.

O talentoso Matheus Cosmos, de apenas 21 anos, mestrando em artes cênicas e bacharel em letras pela USP, escreveu uma matéria linda, emocionante e super atual sobre a participação de Albert Roggenbuck na missa do Septenário de Nossa Senhora do Carmo, para o Blog "Teologia da Libertação - Igreja, povo de Deus em Movimento - Leigos/as, Religiosos/as e Padres por uma Igreja libertadora". Não deixem de conferir AQUI.

CURTA O EM NEON NO FACEBOOK

Fotos: Itamar Barreto e André Palma 

A Redação

 
Todos os direitos reservados para © 2014 Em Neon
Desenvolvido por Code Art Design by Maurício Code