NOVIDADES

COMPORTAMENTO

sexo

Vídeos

Arquivo Em Neon

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Divas: Mademoiselle Patricia Kaas

Em Neon: sexta-feira, 1 de maio de 2015


Patricia Kaas nasceu em 05 de dezembro de 1966 na pequenina Forbach  (França). Entretanto, ela cresceu na cidade de Stiring Wendel, fronteira com a Alemanha, que fala "Platt" dialeto alemão - língua materna dela – e por isso, não falou francês antes dos seis anos. Foi criada em uma família de sete filhos: mãe de origem alemã e pai francês minerador "boca negra" nas minas de carvão.

CURTA O EM NEON NO FACEBOOK

Desde 1987, ela faz muito sucesso nos países de língua francesa, alemã e russa, onde  se apresenta regularmente. Seus álbuns são vendidos em 40 países, com um número estimado de 17 milhões de álbuns vendidos em todo o mundo.



Com a ajuda de seus pais, ela começou a dar concertos com 8 anos de idade. Fazia performances de canções de Sylvie Vartan, Claude François e Mireille Mathieu.

Depois de ter sido contratada em 1979 (com apenas 13 anos de idade) para um cabaret em Saarbrücken, o "Rumpelkammer Club", onde, durante sete anos, ela cantou todos os sábados à noite, ela finalmente foi “descoberta” em 1985 por François Bernheim.

Ele foi até  Frankfurt para ouvi-la cantar em um festival da cerveja. Ao retornar a Paris, ele perguntou a sua sócia Elisabeth Depardieu se ela não queria coproduzir o primeiro disco de Patricia com ele. Ela aceitou e Gérard Depardieu contribuiu financeiramente para este primeiro registro. Contudo, "Jealous" foi um fracasso.



No entanto, dois anos depois François Bernheim apresenta Patricia Kaas a Didier Barbelivien oferecendo-lhe “Mademoiselle chante le blues”. Este título apareceu em abril de 1987 e foi agraciado com o Prêmio Charles Cros.

Em novembro de 1988, o primeiro álbum “Patricia Kaas Mademoiselle chante ...” que é muito popular na França e na Alemanha, graças a sucessos como “D’ Alemagne”, “Mon mec à moi”, “Elle voulait jouer cabaret”, “Quand Jimmy dit”, escritas por Bernheim / Barbelivien, rendeu-lhe o premio Grammy de Revelação do Ano.

Nos anos seguintes Patricia Kaas obteve menos sucesso nas vendas de seus álbuns, mas a sua grande força foram os espetáculos ao vivo, onde em New York mais de 6000 pessoas foram assisti-la no Beacon Theater.



Em 2009 marcou o retorno de Patricia Kaas com um novo álbum: “Kabaret”, uma homenagem à década de 1930. Saiu em turnê internacional entre novembro de 2008 e fevereiro de 2010, na França e em mais de vinte países. Sucesso absoluto.



O retorno musical em 05 de novembro de 2012 através do álbum “Kaas chante Piaf”, tributo a Edith Piaf, por ocasião do 50º aniversário da morte da cantora, também foi bem visto por crítica e público. Outra turnê: quarenta países - casas como o Royal Albert Hall em Londres, Carnegie Hall, em Nova York e no Olympia, em Paris receberam a diva.



Militante, em dezembro de 2012, ela foi co-autora de um pedido de artistas e personalidades artísticas em favor da abertura do casamento aos casais homossexuais.

CLIQUE AQUI para ouvir o álbum "Patricia Kaas Greatest Hits || Best Songs Of Patricia Kaas (Full Album 2015)"

Fotos: Florent Schmidt / Mehmet Turgut / Reprodução

Por: Fabíola Ferrari - CLIQUE AQUI para ver outras matérias de Fabíola Ferrari

Fabiola é graduada e pós-graduada em Pedagogia pela Universidade de Gênova (Itália). Amante das artes, dos livros e de tudo aquilo que tem bom gosto, vive em Roma desde o final dos anos 90. Nome de peso da noite paulistana, é uma artista incomparável. Grande fã de Dalida e de outras cantoras europeias, que em seus shows as personifica com requinte e glamour.

 
Todos os direitos reservados para © 2014 Em Neon
Desenvolvido por Code Art Design by Maurício Code