NOVIDADES

COMPORTAMENTO

sexo

Vídeos

Arquivo Em Neon

sábado, 10 de janeiro de 2015

Mundo LGBT: Projeto de nova-iorquino registra gays do mundo inteiro

Em Neon: sábado, 10 de janeiro de 2015



"The Gay Men Project" é um projeto pessoal feito pelo fotógrafo vietnamita, radicado em Nova York, Kevin Truong. Seu objetivo é criar um catálogo visual de homens gays que vivem em todo o mundo.

CURTA O EM NEON NO FACEBOOK

Truong descreve o projeto assim:
"Este projeto é simples. Basicamente eu estou tentando fotografar o máximo de gays que eu puder. Meu objetivo é criar uma plataforma, uma visibilidade em algum nível, e um recurso para outras pessoas que possam não ser tão abertamente gay. Um catálogo visual de homens gays e suas histórias. Quando eu penso em minha própria experiência, todo o tempo que passei no armário, escondendo o fato de que eu era gay e agora estar em um lugar onde me sinto completamente confortável, ter o blog e dizer ao mundo 'Hey, eu sou um homem gay', acho que isso dá um certo poder, para mim e para muitos dos homens no blog. Portanto, é uma espécie de jogo de números, eu acho que quanto mais homens eu fotografar, mais impacto o projeto terá. Meu sonho é levar o projeto para o máximo de cidades diferentes que eu puder, em todo o mundo."

Quem quiser participar do projeto, basta entrar em contato com: kevin@kevintruong.com.

No projeto, Truong traz fotos e depoimentos de homens gays que aceitaram posar para ele, já são mais de 380 homens de 50 cidades. Nessa matéria mostraremos alguns homossexuais de várias partes do mundo, incluindo o Brasil, clicadas por ele. Em nosso país ele fotografou gays de Brasilia, São Paulo e Rio de Janeiro.

Confira abaixo algumas fotos e depoimentos:

Brasília, Brasil
Octávio, pintor: "Ser gay me permite ser quem eu sou; isso significa não me preocupar em seguir alguns padrões ou normas que são governados e ditados por uma sociedade homofóbica. A homossexualidade é apenas uma das muitas características que tenho, apenas uma parte de mim..."

Luiz, Psicólogo: “Ser gay é um dos aspectos da minha vida, não o principal, tampouco o menos importante. Faz parte do que sou, mas não me define, pois a minha vida é muito mais ampla que isso..."

Itallo, administrador de negócios: “Ser gay para mim significa ser tolerante a diversidade, autêntico, lutador, independente, ter jogo de cintura diante da ignorância da sociedade e acima de tudo ser um cidadão que merece respeito independentemente de sua orientação sexual..."

Rio de Janeiro, Brasil
Laan, dançarino: "Ser gay significa o meu eu interior, a minha liberdade. Meu maior desafio foi me aceitar do jeito que eu realmente sou. Sair do armário foi rápido, prático e assustador ao mesmo tempo. Se eu pudesse me dar conselhos antes de sair eu diria: Vá garoto lento, o mundo é grande... "

Jean Wyllys, Deputado Federal: "O Trabalho de Kevin mostra como ainda estamos perseguindo as mesmas causas desde os ano 70, pela visibilidade. O gay é sempre tratado como excêntrico, o personagem da noite, do hedonismo, da Parada Gay. Sempre digo que não nasci de chocadeira, tenho uma rotina normal. Que bom que existe alguém exibindo isso..."

Alex e Candido, engenheiro e advogado: "O maior desafio em relação a sermos gays foi superar os nossos próprios preconceitos e entendermos que ser gay não nos fazia diferentes ou menos respeitáveis. Assumir-se gay foi um desafio familiar que aos poucos fomos superando. Mas nós pensamos que esse desafio, na verdade, se tornou o nosso maior sucesso. Sermos amados, aceitos e acolhidos pelos nossos pais, irmãos e demais familiares foi algo, sem dúvida, muito gratificante..."

São Paulo, Brasil 
Flavio, fotógrafo: "Uau ... que dura esta primeira pergunta... Eu acho que ser gay significa ser normal, como se fosse hétero. É claro que ser gay no mundo de hoje, significa que você terá que, muito provavelmente, enfrentar alguns desafios que, em teoria, as pessoas heterossexuais não enfrentaria."

Cusco, Peru
Wilfred, professor: "Eu acho que ser gay não deve ser considerado algo especial. Um homem gay para mim é outro ser humano com um objeto diferente de afeto. Eu não acredito em guetos, pois só traz isolamento e mais sofrimento."

Santiago, Chile
Claudia, ativista trans: "Ser mulher trans significa me reconhecer como uma pessoa, os direitos humanos, autodeterminação para orientar e escolher o que eu quero fazer, viver e sentir em minha vida. É uma oportunidade de experimentar a diversidade e educar, observando que uma pessoa trans não é uma pessoa doente, é uma forma legítima em que, apesar das muitas dificuldades, rejeição, discriminação, falta de leis que protejam e políticas, você pode apreciar a simplicidade da vida. Sempre se ver com um sentido de resistência e força no caminho, apesar da discriminação, desemprego, humilhações e perguntas ao escolher um gênero em que tem que vivê-lo. É difícil ver uma maneira positiva na transexualidade quando a sociedade lhe torna completamente invisível e te rejeita por ser diferente, te patologiza e te envolve em preconceitos. Mas eu aprendi a não ver o negativo que as pessoas vêem e sempre vejo que de todas as dificuldades, o desprezo e a intolerância pode nascer uma oportunidade e uma esperança."


Claudia e Claudia, com a sua filha Gabby: "Nós temos que dizer que fomos grandemente surpreendidas com o convite de Kevin para participar de seu projeto. Estamos honradas em fazer parte do "Projeto Homens Gays" e lhe desejamos boa sorte em sua aventura maravilhosa. Ser uma família Lesbomaternal não é tão diferente de outras famílias. Tentamos ver as coisas que temos em comum e depois de ter longas conversas, pensando nisso, nós tendemos chegar à mesma conclusão: nos amarmos incondicionalmente e fazer o nosso melhor, como uma família, para comemorar o amor e o respeito através dos bons e maus momentos."

Buenos Aires, Argentina
Nicholas e Javier, fotógrafos: "Ser gay é a liberdade (pessoal), amar quem deseja, sem a necessidade de explicar, mas é apenas uma ponta de nossa vida. Não é a única ou a mais importante ou nos definem, mas viver de liberdade e alegria nos torna completos."

Ernesto e Alejandro: "(Ser gay) significa uma vida em liberdade de viver sua sexualidade da forma mais natural possível. As leis de casamento igualitário que conquistamos na Argentina, foi o desafio mais significativo que os homossexuais tiveram, não apenas em nosso amado país, mas em toda a América."

Nico, cineasta: "Ser gay é parte da minha vida, mas não a minha vida. Também foi um problema no momento em que eu estava me aceitando e entendendo que era a única maneira que eu tinha para ser feliz. É parte da minha personalidade e me faz ser quem eu sou."

Alexandria, Virginia
Calvin, advogado: "Gostaria de fazer parte deste projeto. Por que, você pode perguntar? Eu sou gay e prestes a fazer 54 anos e sinto que não realizei muito na vida, mas agora quero mudar isso."

Baltimore, Maryland
Alex, artista: "Gay é uma palavra que eu ocasionalmente uso para me descrever. Às vezes, a palavra gay liga muito para uma dinâmica de gênero/cultura que parece ultrapassada, ou apenas não é suficiente. Eu me identifico mais como uma pessoa estranha. Para mim, gênero e sexualidade são unidades da criatura, como eu digo, mas não as únicas. Ser homossexual, significa conectar-me a uma cultura, um mundo, uma história que está constantemente tentando se reinventar. Acho que é por isso que a arte e a dança ajudam. É sempre um jogo colorido de movimento e de surpresa. Eu gosto da história da magia e xamanismo, então as vezes é mais divertido dizer às pessoas que eu prefiro ser chamado de bruxa do que de homem gay."

Batesville, Mississippi
Erastes: "Somos mais do que quem somos, quem queremos ser ou quem nos tornaremos. Nós sempre fomos mais do que os nossos atributos, nossas identidades e as nossas falhas."

Boston, Massachussetts

Allen e Brad, estrategista em mídias sociais e digitais e estrategista de marcas de empresas de parceria: "Eu amo ser gay. Eu quase me sinto mal dizendo isso, porque eu sei que ainda há muitas pessoas que enfrentam graves prejuízos, ódio e perigo por causa disso. Mas, parte da razão pela qual eu amo ser gay é porque eu sinto que posso ajudar a pavimentar o caminho para os outros, assim como os outros fizeram por mim."

Cidade do Cabo, África do Sul
Mussa, assistente social: "Ser gay para mim, significa ser quem eu sou. Eu não vejo qualquer coisa estranha em ser gay como um ser humano. Porque neste mundo as pessoas não são as mesmas. Nós devemos apenas respeitar um ao outro como criações de Deus."

Nehemiah, Conselheiro: "Para mim, ser gay significa que eu sou fabuloso, ambicioso e um trabalhador. Qual o conselho que eu dou aos jovens gays? Parem de ser tão maricas! Foda-se o que a sociedade pensa. Você tem família e amigos que te amam, não importa o quê você é! Você aceitar e amar a si mesmo, pode fazer uma grande diferença para alguém que está lutando com o mesmo problema. Seja uma inspiração. Seja alguém para olhar por cima. Seja orgulhoso. O mais importante, seja você mesmo. Ame a si mesmo."

Paris, França 
Mathieu, gerente contábil: "Para mim, ser gay continua sendo essencialmente uma questão de amor e sexo, os gays são capazes de viver seus relacionamentos com profundidade e sinceridade, o quanto possível, sem levar em conta modelos previamente estabelecidos. Na necessidade de rejeitar o 'padrão', porque não se adaptam a minha realidade, eu desenvolvi uma verdadeira sensação de liberdade e independência, o que me fez mais forte e mais aberto."

Cathedral City, Califórnia
Ray e Steven, professor e quiroprático: "Quando eu era jovem, ser gay significava que eu era diferente e não se encaixava com meus pares ou o mundo ao meu redor. É muito diferente agora. Eu me sinto muito sortudo por ter nascido gay. Tive uma vida maravilhosa, fui capaz de viajar muito, e me destacar em minha carreira. Se eu fosse heterossexual, eu acho que não teria tido o dinheiro, nem condições de fazer as coisas que eu fiz."

Panamá, Panamá
Ariel, jornalista, panamá: "Eu nunca me senti culpado ou vergonhoso em ser gay; No entanto, uma das maiores experiências que tive de enfrentar, como resultado da minha sexualidade, foi deixando de lado as expectativas que a sociedade e minha família haviam planejado para mim. A sociedade tenta nos ensinar o que é certo e errado, e que sair do armário é uma rebelião contra essas expectativas e regras. Você tem que aprender a viver e não apenas para ser aceito, mas para ser você mesmo.O mundo lá fora é um lugar grande e há um espaço para todos."

Para conhecer mais do trabalho de Kevin Truong CLIQUE AQUI.

A Redação

 
Todos os direitos reservados para © 2014 Em Neon
Desenvolvido por Code Art Design by Maurício Code