NOVIDADES

COMPORTAMENTO

sexo

Vídeos

Arquivo Em Neon

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Em Contato: EXCLUSIVO! De amor novo e álbum prestes a ser lançado, Fernanda Abreu conta tudo a Marcello Taurino

Em Neon: quarta-feira, 16 de abril de 2014


Envolvida no projeto de seu novo disco, Fernanda Abreu faz uma pausa para conceder entrevista ao Em Neon

UI UI UI AI AI, MEU PAAAI!!!

Na estreia da coluna EM CONTATO, vocês poderão degustar esse incrível bate-papo que eu, Marcello Taurino, tive com uma das mais talentosas, criativas e generosas artistas do cenário brasileiro.

Fernanda Abreu (comigo na foto, ai que luxo!) foi a pioneira de uma onda dance que surgiu no início dos anos 90, com o uso correto do sampler, e chegou a ser considerada a “rainha da dance music brasileira”.

Dona de hits emblemáticos como “Rio 40 Graus”, “Você Pra Mim” e “Veneno da Lata”, entre muitos outros, a cantora, compositora, bailarina, carioca e vascaína, FERNANDA ABREU, com exclusividade para o Em Neon, abre o jogo e entra EM CONTATO com os leitores do site. Confira a entrevista:




Marcello Taurino: Olá Fernanda! Soube que seu próximo álbum está prestes a ser lançado, é verdade? Vai ter alguma participação especial nele?
Fernanda Abreu: Podem esperar um disco cheio de músicas boas. Ele falará sobre o amor! Por enquanto tem a participação de Africa Bambaatta.

MT: Praticamente às vésperas de completar 25 anos de carreira solo, você é uma das artistas que melhor ilustrou a fase de ouro da MTV Brasil e por esse motivo, a emissora exibia seus videoclipes praticamente durante todo o dia, mas curiosamente, até o momento não existe uma Video Collection sua nas prateleiras. Um DVD reunindo esses vídeos não seria uma excelente maneira de celebrar essa data? Seus fãs podem esperar por isso em 2015?
FA: SIIIMMM! Meus fãs podem esperar novidades em comemoração aos meus 25 anos de carreira solo no ano que vem! Quero editar os CDs em um box e também um DVD Clipe Collection!

MT: Como é a relação com os seus fãs e que importância você acredita que eles possuem na carreira de um artista?
FA: Os fãs são fundamentais! É claro que existem os fãs sazonais e os fãs que acompanham mesmo a carreira de um artista. São esses que alimentam o ídolo! Os meus fãs são o máximo! São inteligentes, modernos, elegantes! Um luxo!

Fernanda Abreu de braços abertos para os fãs como o Redentor de seu "Rio 40 graus"
MT: Quais artistas você tem como influência direta no seu trabalho e quais (no cenário atual) considera serem relevantes?
FA: Vários!!! Ficaria aqui até amanhã de manhã listando artistas importantes e que influenciam no meu trabalho! Gosto muito de música, dança, artes visuais, fotografia, literatura e cinema! Na música, meu maior ídolo é Michael Jackson, mas considero Pharrell (Williams), hoje, o maior talento da música pop mundial. No Brasil adoro Jorge Benjor, Tim Maia, Caetano (Veloso), Gilberto Gil, Martinho da Vila e tantos outros...

Amadurecida musicalmente e em uma nova fase da vida, a cantora tem novas razões para sorrir
MT: Com uma carreira consolidada, repleta de trabalhos e parcerias importantes, você já se considera uma “Diva”?
FA: Acho que quem tem que me considerar uma “Diva” são meus fãs! Mas, me sinto privilegiada e orgulhosa da minha história, da carreira que construí e venho construindo!

MT: Há algum tempo, você está numa nova fase em sua vida particular e sei que tem uma galera na torcida para que tudo continue dando certo. Você gostaria de comentar um pouco a respeito?
FA: Eu estou apaixonada! E isso é maravilhoso e inspirador!!! Tenho curtido muito essa nova fase. Meu casamento com Luiz foi um sucesso, pois ficamos casados 28 anos e tivemos duas filhas lindas. Mas a vida nos reserva surpresas incríveis e o Tuto apareceu me trazendo muito amor e novidade!

Fernanda Abreu na revista Vogue em setembro de 2013 por Jacques Dequeker 
MT: Você é uma das personalidades que sempre contribui publicamente com importantes lutas, entre elas a conquista de direitos dos cidadãos LGBT. Apesar dos avanços conquistados, ainda estamos longe de resolver todas as nossas urgências. Como você enxerga essa onda de homofobia no Brasil e no mundo?
FA: Acho inaceitável! Isso mostra como o ser humano ainda está longe de ser civilizado! O mesmo absurdo acontece em relação à violência contra a mulher! Precisamos falar nisso diariamente pra ver se a humanidade anda pra frente!

MT: O crescente aumento dos casos de violência, o fechamento de alguns espaços históricos e os problemas causados pelo caótico sistema de transportes da cidade, são indicadores de que o Rio de Janeiro está passando por uma horrorosa fase de abandono. Você acredita que teremos chances de mudar essa realidade a partir das próximas eleições, levando em consideração o quadro de candidatos que temos?
FA: Acho difícil. A política partidária está completamente desacreditada e poucos nomes novos apareceram no cenário político. “Corrupção” e “impunidade” são palavras que norteiam a política institucional hoje no Brasil. Isso é muito triste, pois fazer política é fundamental para o ser humano! 

MT: Atualmente alguns artistas nacionais estão lançando seus álbuns em CD e também em LP. Você acredita no potencial de um possível retorno do vinil em plena era digital?
FA: Olha, existe uma cena que indica um aumento do consumo de vinil no Brasil e no mundo, mas acho que para iniciados. Consumidores normais de música estão consumindo digitalmente. Acho que não tem mais volta! Às vezes penso se é mesmo preciso lançar CDs. Talvez o futuro seja apenas lançar singles.

MT: No seu álbum “Da Lata” você trabalhou com Will Mowatt, do Soul II Soul, foi a partir daí que você iniciou uma carreira internacional, lançando seus álbuns também no Japão, França e México. Como anda essa carreira e por que, nesses países, seus álbuns foram lançados em edições diferentes das nacionais?
FA: Minha carreira internacional deu uma estacionada, pois para alimentá-la é preciso focar lá fora e no momento esse não é meu foco. Vivi bastante esse momento de lançar CDs e fazer shows fora do Brasil, mas agora estou me concentrando em criar novas músicas. Quanto às edições dos CDs serem diferentes no Brasil lá fora é por conta da gravadora que os lança. Elas têm estratégias diferentes de marketing e por consequência na escolha de fotos de capa e lançamentos de singles.

MT: Como surgiu esse seu projeto musical de Mash Ups (onde você canta usando as bases de outras canções internacionalmente conhecidas), em parceria com o Donatinho? Vocês pretendem continuar com as apresentações e lançarem um álbum também?
FA: Esse foi um projeto criado exclusivamente para o evento "Vem pra areia" da TIM. Por enquanto não vamos mais apresentá-lo.

MT: Conhecendo bem as fragilidades e necessidades da classe artística, se você fosse nomeada a nova Ministra da Cultura, quais seriam as suas prioridades em prol dessa classe?
FA: Eu iria batalhar por um orçamento para o Ministério da Cultura bem maior que o 1% destinado à Cultura Brasileira. Os políticos brasileiros precisam entender a importância estratégica que a cultura tem para uma Nação!

MT: Pra encerrar, gostaria de pedir que você listasse cinco canções que não podem faltar em uma boa festa!
FA: 1- Got to be real (Cherryl Lynn) 2- Don't Stop till you get enough (Michael Jackson) 3- Loose yourself to dance (Daft Punk, Pharrel e Nile Rodgers) 4- Sexy Machine (James Brown) 5- Do Leme ao Pontal (Tim Maia).

Fico muito feliz e agradecido por Fernanda Abreu ter feito esta pausa em meio a tanto trabalho e ter sido tão atenciosa comigo. Nossos leitores também agradecem, tenho certeza. É por essas e outras que ela é Fernanda Abreu! Em meu nome e do Em Neon, desejo sucesso sempre!
Beijos a todos e até o próximo contato...
Marcello Taurino

Imagens: Divulgação e aquivo pessoal


Marcello Taurino (do signo de touro) é técnico em contabilidade e iniciou sua carreira artística nos anos 90. É ator performer, audiomaker, videomaker, ativista/militante LGBT, dançarino e aderecista, entre outras aptidões.

 
Todos os direitos reservados para © 2014 Em Neon
Desenvolvido por Code Art Design by Maurício Code